Agueda Gonçalves: o rosto da Sorisa

2678
Entrevista Agueda Gonçalves - Sorisa
Entrevista Agueda Gonçalves - Sorisa

A Mulher Portuguesa foi conhecer quem administra a marca Sorisa SA, em Portugal. Descobrimos uma mulher elegante, com sentido de humor, e que desde sempre viveu no mundo da estética, Agueda Gonçalves.

A marca Sorisa existe em Portugal desde 1979. Nascida em Espanha há mais de 150 anos, a Sorisa SA está sediada em Lisboa, e em mais 78 países, possuindo ao nível nacional delegações no Porto, em Coimbra e Faro, além de ter representantes nos Açores e Madeira. Com um grande leque de clientes, já fiéis às marcas que representa, a Sorisa é um universo de qualidade para todos aqueles que confiam na credibilidade dos seus serviços e produtos.

A marca Sorisa

Fascinados pelo mundo da estética, a Mulher Portuguesa achou pertinente conhecer um pouco melhor este universo de beleza e sedução. Águeda Gonçalves é o nome da mulher que está à frente da Sorisa SA, e foi com ela que falámos durante algum tempo.

Começou por nos contar como é que se deu a sua passagem para Portugal, dirigindo uma empresa deste calibre: “Eu fazia parte do grupo de formação, ou melhor, do sector científico, da Sorisa, em Espanha.

Fizeram-me o convite para trazer a direcção comercial para cá, porque achavam que tinha muitos conhecimentos científicos. Eu, na altura, com apenas 35, 36 anos, aceitei, e 22 anos depois ainda estou a pensar se eles tinham razão.” (risos)

Denunciando a sua nacionalidade, com um ligeiro sotaque de ‘nuestros hermanos’, Águeda Gonçalves demonstrou ser uma mulher muito bem disposta, característica própria do país vizinho. Falando sobre a adaptação ao nosso país, a administradora da Sorisa SA declarou que “qualquer estrangeiro em Portugal adapta-se bem, e nós, espanhóis e portugueses, somos muito parecidos.

No que compete à adaptação, eu vinha com um trunfo- vinha com um cargo que implicava que os outros se adaptassem a mim, e não eu a eles. Por isso, foi mais simples do que a qualquer espanhol que tenha que vir para adaptar-se às normas de Portugal. Hoje, estou totalmente integrada!”

Falando da empresa que administra, a nossa entrevistada esclareceu-nos que “somos um grupo, no qual estão quatro marcas/áreas de negócios integradas: temos o sector da fisioterapia, um sector ligado à ginástica e musculação, outro sector de electroestética, e mais um de cosmética. Sorisa é a mãe de um grupo de 4 empresas, e tentamos dar o melhor possível de todas elas. Temos uma competitividade muito saudável, e todos tentamos que cada grupo facture um pouco mais que o outro.”

Ligada sempre à área da medicina e estética, Águeda Gonçalves recorda que “à área da estética liguei-me há 27, 28 anos. Eu, na altura, era professora de electromedicina, e dar aulas de estética ou electromedicina é igual. As bases são as mesmas, e é só preciso adaptar o vocabulário. Por isso, acabei por estar sempre ligada a ambas.”

Estando numa área onde a concorrência é muito forte, Águeda Gonçalves afirma que a concorrência é saudável: “A concorrência é saudável, embora haja muita concorrência. Nós não tentamos combatê-la, mas sim acompanhá-la, tentando acompanhar também a evolução.

Uma vez que se tenha experiência, um nome como a Sorisa, e umas marcas como nós temos, de grande prestígio, acaba por não ser muito difícil.” Ainda relativamente à concorrência no mundo da estética, a nossa entrevistadora adiantou que “ao haver muito mais pesquisa, criaram-se máquinas super industriais que fazem toneladas de unidades de dia. Aumentou-se a qualidade, mas diminuiu-se o valor dos produtos.

Hoje em dia não há cosmética má. Mesmo aquela muito barata, que pode não ser excelente, não pode ser classificada como má. O número de utilizadores aumentou, e com tudo isto quem ganha somos todos nós.”

A Sorisa SA está já em fase de preparação do seu segundo concurso para a eleição da Estética do ano 2001. Depois do sucesso do ano passado, no Hotel Meridien, este ano o concurso será realizada no cine-teatro do Tivoli, no dia 30 de Setembro.

Das 10 seleccionadas para o concurso, apenas três poderão levar um dos prémios: a 1ª classificada levará 300 mil escudos em produtos de cosmética, vitrines, entre outros; 2ª classificada, 100 mil escudos em produtos de cosmética; 3ª classificada, 50 mil escudos em produtos de cosmética. Estas três classificadas receberão um troféu Sorisa, em prata, e terão que realizar 3 provas, para alcançarem os desejados prémios: prova de rosto, corpo e maquilhagem.

Do júri farão parte pessoas que, de alguma forma, estão relacionadas com a área da estética, moda e imprensa. Por isso, a Mulher Portuguesa vai estar também no júri, representada pela sua Editora Cristina Gil.

Agueda Gonçalves

Confrontamos a nossa entrevistada com o facto da mulher actualmente se preocupar muito mais com a sua imagem do que há 20 anos atrás. Águeda Gonçalves mostrou-nos o seu ponto de vista: “Sempre houve as mesmas preocupações, mas a realidade do mercado, o marketing e a agressividade da informação era mais passivo. Temos também que ter em conta que o nível sócio económico português evoluiu bastante. Hoje somos mais agressivos!

Digamos que, fazemos mais barulho para obtermos os mesmos resultados, mas a mulher sempre se arranjou!” Acrescentou ainda que “a classe média/ alta sempre teve as mesmas necessidades de hoje em dia.

O que acontece é que a classe mais baixa acordou, e viu que arranja melhor lugar no seu sector de trabalho quanto melhor visual tiver. A classe social mais baixa entendeu que não pode ter lugares de destaque se esse seu visual não o permite.”

Para a nossa entrevistada o grande problema da mulher é a celulite, e a vontade mais marcante é a perfeição, em ambos os níveis, físico e psicológico.

Argumentou-nos face a esta questão que “a celulite é aquilo que preocupa mais as mulheres psicologicamente, mas isto depende de que mulher estamos a falar e da sua idade.

Se falarmos de uma mulher de tenra idade, entre os 18 e 36 anos, estamos a falar de uma mulher que tem o culto ao corpo, sendo a celulite o problema número um. Se falarmos de uma mulher de 40 ou 50 já tem outros problemas: envelhecimento, rugas, flacidez e, sempre, celulite.

O que significa que a celulite é um problema que persegue a mulher desde sempre até à morte. Hoje em dia, a mulher encontra, quase, uma solução para resolver o seu problema em qualquer farmácia/perfumaria, centro de estética. O pior que se pode fazer é ir para as operações estéticas, que resolvem o problema de forma radical, mas por pouco tempo.”

Seguindo apenas os cuidados básicos para a pele, limpando-a, nutrindo-a e hidratando-a, Águeda Gonçalves conserva ainda uma aura muito jovial, não só de espírito, mas também na sua aparência. Elegantíssima!

Cuidados com o corpo tem alguns: ” Chego a passar um pouco de fome para manter o peso, sobretudo antes do Verão, mas pratico exercício físico. Porém, não com a assiduidade que gastaria, mas com a assiduidade que a vida profissional me permite.

Aliás, nem conseguiria viver sem o exercício porque me faz bem psicologicamente. Sinto-me bem comigo mesma, isto sem falar no convívio que se encontra no ginásio.”

Falámos também de beleza, como seria de esperar. A administradora da Sorisa SA teceu o seu comentário quanto às mulheres belas e àquelas menos belas: “Não existem mulheres feias. Existem, sim, mulheres que têm um terrível mau gosto, e que nunca olharam para o rosto, saber como lhe fica melhor o cabelo, como maquilhar os olhos, como se deve vestir.

O problema da mulher que se intitula mais feia é que segue as modas. Se a pessoa tem uns olhos para utilizar um cinzento, ela, porque é moda, usa um verde, e essa cor não lhe fica bem.

O problema é que a mulher não pára para ver qual os valores que tem que realçar o seu rosto. Por exemplo, o penteado é muito importante, e muda imenso o aspecto de uma mulher. Ao longo de 25/ 26 anos a dar aulas de estética, tenho feito transformações de mulheres normais ficarem como autênticos super modelos.

As próprias modelos não apareceram assim, elas fizeram-se assim, porque houve um assessor de imagem que as fez. Se elas estiverem normais, sem qualquer retoque, vão parecer exactamente pessoas normais. Afinal, é toda a harmonia que vai fazer uma mulher ficar super bonita ”

Sempre com voz determinada, a nossa entrevistada declarou acreditar que daqui a alguns anos a mulher vai ser avaliada pelas suas reais capacidades, e não pelo seu exterior: “Eu julgo que daqui a uns anos vamos encontrar mulheres executivas, grandes ou médias, devido à sua agressividade profissional.

Mulheres que se preocupam com a aparência, mas não com o culto à aparência, porque senão teremos uma mulher fútil e não uma Mulher. Esta fase actual é apenas um despertar para o culto do corpo, pois eu acredito que será encontrado o equilíbrio daqui a algum tempo!”

Adora ler, já que, como ela mesma diz: “A leitura faz parte indispensável da minha posição profissional, até porque tenho que estudar a concorrência e tenho que estar a par de tudo (risos).”

Afirma que se tivesse muito dinheiro um dos seus hobbies seria viajar, mas isso fica para quando tirar a lotaria. Sempre bem disposta, Águeda adiantou ainda que adora ver a natureza, e passear com o seu neto.

E, porque o tema da conversa andava sempre em torno da beleza, não podemos deixar de lhe perguntar quais as mulheres mais bonitas em Portugal. Sorrindo, como foi habitual durante toda a nossa conversa, confidenciou-nos que “há muitas mulheres sofisticadas em Portugal que não são bonitas, e temos mulheres bonitas que não são sofisticadas.

Temos também mulheres com muita classe, mas que não são bonitas. As vips, por exemplo, são excêntricas, mas não são bonitas nem sofisticadas. A Bárbara Guimarães, por exemplo, é um pessoa bonita e sofisticada, e é aquilo que se poderia chamar de uma pessoa interessante.

Uma pessoa elegante é a ex Ministra da Saúde, e ainda que tivesse sido motivo de muita polémica, foi muito importante para as mulheres. A presidente de Sintra é também uma mulher elegante, sem ser bonita, mas é alguém que sabe estar, e que é muito respeitada. As mulheres marcantes são aquelas que realmente admiro.”

Podíamos ter ficado todo o dia a conversar com a administradora da Sorisa SA, mas havia trabalho para ambos os lados. Da conversa ficou a certeza de que a Sorisa SA veio para ficar, quer na área da fisioterapia, musculação e ginástica, vendendo equipamentos, quer na área da cosmética, com a representação das suas três marcas, vendendo produtos a esteticistas, ou com a escola de estética.

O 2º Concurso Sorisa que se destina à eleição da esteticista do ano 2001 é também um sinal de que a solidez desta marca é real! Um mundo onde se prima pela beleza e qualidade!

Classificação
A sua opinião
[Total: 0 Média: 0]