Domitília dos Santos em Wall Street

5723
Domitília dos Santos - uma portuguesa na Wall Street
Domitília dos Santos - uma portuguesa na Wall Street

É actualmente senior vice-president e senior portfolio manager numa das maiores consultoras financeiras do mundo. Ocupa um lugar de destaque na Wall Street e é um nome de referência para os grandes investidores na Bolsa de Nova Iorque. É uma mulher, e é portuguesa. Chama-se Domitília dos Santos.

Deixou as terras algarvias aos 12 anos de idade, rumo aos Estados Unidos da América. Foi lá que ficou a estudar e foi lá que construiu uma carreira brilhante. Formada em direito, Domitília dos Santos conseguiu, aos 26 anos de idade, concretizar a sua grande ambição profissional: tornar-se jurista ao serviço das Nações Unidas. A burocracia em que se apoiava aquele cargo fez com que, ao fim de dois anos, o sonho estivesse plenamente satisfeito e esgotado.

Ao cada vez maior desejo de mudar de vida veio juntar-se a oportunidade ideal: Um dia encontrei um ex-colega de faculdade que tinha enveredado pela actividade profissional no sector financeiro. Explicou-me o que era a Bolsa de Valores e quais as profissões que a ela estavam ligadas. Levou-me a visitar a Bolsa de Nova Iorque.

Aparentemente, este encontro casual foi meio caminho andado para que Domitília dos Santos descobrisse o mundo financeiro e tomasse a decisão de ir trabalhar para Wall Street. Ali começou por trabalhar numa grande firma de advogados, e durante mais de um ano estudei afincadamente o funcionamento da Bolsa, a respectiva actividade de correctagem e a gestão de carteiras de activos financeiros.

Menos de dois anos mais tarde, mudava-se para a Merryll Lynch, uma importante operadora do mercado financeiro, e logo no ano seguinte entrava para a empresa onde se encontra actualmente, a Salomon Smith Barney Inc., integrante do maior grupo financeiro do mundo, o CitiGroup.Quando entrei para a Salomon Smith Barney, em 1984, a minha categoria profissional era de estagiária no Departamento de Consultadoria Financeira. Iniciou-se, então, o meu progresso na carreira. Em 1991 fui nomeada Vice President e quatro anos depois Senior Vice President e Senior Portfolio Manager.

Enquanto permanece em Nova Iorque, onde é a sede da empresa e o seu local de trabalho, Domitília dos Santos já alargou o seu leque de clientes um pouco por todo o mundo. Mas afinal, de que consiste a sua profissão?

A minha actividade principal é tomar decisões sobre investimentos financeiros, aconselhar cada um dos meus clientes de acordo com o respectivo perfil de risco, dirigir a minha equipa de especialistas, acompanhar pormenorizadamente a evolução dos mercados financeiros e das empresas cotadas.

Apesar de ser uma verdadeira “workaholic”, não só o trabalho preenche o seu tempo. Acorda todos os dias às 5 da manhã para praticar o seu exercício favorito: correr. Para além do jogging matinal, Domitília dos Santos frequentemente põe de lado o trabalho financeiro para participar em maratonas um pouco por todo o mundo.

Depois de um dia bem preenchido no escritório e na Bolsa de Nova Iorque, dá ainda aulas na Universidade e participa activamente em actividades voluntárias de carácter social e cultural. Numa perspectiva pessoal, tento ter uma vida tão rica quanto possível dos pontos de vista cultural, físico e humanista, assim como de dedicação aos outros e aos seus problemas. Tento enriquecer-me permanentemente e dar utilidade social a esse activo; é por isso que, apesar da pesada carga da minha agenda, colaboro a título gratuito em muitas actividades de carácter cultural e social.

A este nível, as instituições eleitas por Domitília dos Santos no seu trabalho de voluntariado são a New York Public Library, o Carnegie Hall e o Metropolitam Museum of Art.

O papel da mulher no mercado de trabalho tem, sem dúvida, evoluído. Se bem que Domitília dos Santos é um excelente exemplo de sucesso nesta área, garante que, quando começou, as coisas ainda não eram bem assim.

…hoje já há muitas empresas, grandes e pequenas, que concluíram que as mulheres, dadas as suas características intrínsecas, são, no mínimo, tão empenhadas, diplomáticas e eficazes, como os homens. Há muitos cargos que hoje são desempenhados preferencialmente por mulheres. No que diz respeito à minha carreira profissional, não beneficiou deste entendimento actual, pois quando ele passou a ser assumido pelas empresas já eu desempenhava funções de grande responsabilidade.

Mas Wall Street é, acima de tudo um mundo de homens. No entanto, e ao que parece, isso não assusta nem afecta Domitília dos Santos no seu dia-a-dia profissional: Apesar de haver mais homens que mulheres nas profissões ligadas a Wall Street, não sinto, nem nunca senti, qualquer discriminação pelo facto de ser mulher.

No entanto, e apesar da brilhante carreira profissional… é evidente que uma vida vivida com a grande intensidade com que eu o tenho feito, tem de ter algum custo acrescido. E esse custo é que não sou casada e não tenho filhos. Por outro lado, esta circunstância permite-me uma muito maior liberdade de acção para o exercício de todas as minhas actividades, profissionais ou não. Contudo, tenho muitos amigos e amigas, com os quais tenho um bom relacionamento e que, de certa forma, compensam o facto de não ter familiares nos Estados Unidos.

É precisamente nos Estados Unidos que pretende ficar enquanto trabalhar na área financeira. Afinal, e como nos disse, é ali que se encontra o mercado mais rico a nível financeiro, e o melhor do mundo naquela área. Convites para trabalhar em Portugal não lhe têm faltado, naturalmente, só que a verdade é que nenhum deles consegue competir com o aliciante mundo financeiro de Wall Street.

Regressar a Portugal não está fora de questão. Nunca deixou de se sentir portuguesa e, quando parar de trabalhar – se algum dia chegar a parar! – certamente que regressará ao seu país de origem para gozar uma merecida reforma.

Classificação
A sua opinião
[Total: 6 Média: 3.7]