Crónica: As cegonhas já não trazem meninos

1697
Crónica: As cegonhas já não trazem meninos
Crónica: As cegonhas já não trazem meninos

Antigamente deambulavam histórias na mente das crianças, que protagonizavam a vinda de meninos pela mão das cegonhas. Fascinadas, as crianças sempre julgaram que os mais novos eram trazidos por uma cegonha vinda de terras distantes.

Mas hoje, ao contrário desses tempos, as cegonhas já não trazem vidas mas sim escuridão. Irónico como as coisas mudam ao sabor da vontade dos tempos, ou de um passo em falso originado por uma banal cegonha….

Antes era assim: Mãe de onde vim? E a mãe, atrapalhada com estas coisas da sexualidade e inundada por um pudor avassalador, dizia angelicamente: Foi uma cegonha que te trouxe, filha! E a inocente criança, acreditava que tinha feito uma longa viagem para chegar até aos braços da sua mãe.

As cegonhas fizeram greve

Pois é, mas no dia 9 de Maio, terça feira, por volta das 10.15 o que me pareceu foi que, as cegonhas fizeram greve ao seu rótulo de transportadoras de crianças, para passarem a ser as mães da escuridão. Nessas quase duas horas, em certas zonas do país mais e noutras menos, não houve cegonha que trouxesse uma cria para uma hipotética mãe.

O custo de transporte está caro e cá para mim, o que as cegonhas fizeram foi uma greve nocturna demonstrando o apoio aos seus colegas grevistas dos transportes públicos. Sim, porque a vida está cara para todos. O que é que julgam?

A irritação pelas condições desfavoráveis das cegonhas levou-as a fazer greve nessa noite, através da implantação de uma núvem de escuridão que se iniciou em Lisboa, atravessando todo o Alentejo até chegar ao Algarve. Enraivecidas, pelas más condições climatéricas que têm que atravessar durante todo o ano e sem subsídio de férias ou almoço, o protesto foi iniciado nas instalações de Rio de Mouro, onde têm uma verdadeira urbanização de luxo.

Ao que parece, foi originado um curto circuito e a partir daí, com o sistema de protecção accionado, inexplicavelmente se deu uma avaria em cadeia.

Contudo, esta acção de protesto das cegonhas que, encontraram na escuridão uma forma de fazer valer os seus desejos, teve consequências negativas. Para além de no dia seguinte ter sido encontrada uma cegonha morta, fruto do curto circuito, a circulação ferroviária foi igualmente afectada em grande escala.

As linhas de Sintra, Cascais, Azambuja, Vale de Santarém e a linha ferroviária que atravessa o rio Tejo, sofreram paragens nas suas rotinas diárias devido ao intenso corte de luz, que deixou mais de metade do país somente sobre o negro da noite.

O Grupo Electricidade de Portugal, procede agora a um rigoroso inquérito para averiguar o que aconteceu. Chegam mesmo a afirmar que a causa não pode ter sido uma cegonha, já que existe uma linha de conduta disponível para restabelecer falhas na regularidade da transmissão de luz.

Mas, o que é real e ninguém pode desmentir o facto, é que a luz não veio, Portugal ficou às escuras e as cegonhas mantêm-se impávidas e serenas, nos seus tronos dos fios de electricidade, localizados nas instalações de Rio de Mouro.

Afinal, o que aconteceu? Ninguém quer acreditar mas, as cegonhas saturadas de trabalharem dia e noite, à chuva e ao vento, sem qualquer remuneração acrescida, decidiram paralisar metade do país. O corte de luz foi a forma encontrada de protesto e parece ter dado resultado, pois nos media não se falava de outra coisa.

Portugueses preparem-se pois o mais certo é elas voltarem a atacar a qualquer momento. Ao que parece a região Sul é a que lhes dá mais trabalho na vinda de crianças, mas o Norte prepare-se pois se a produção aumentar nessa zona, o corte de luz será nacional. Ao que chegámos! Até as cegonhas já fazem greve…

Classificação
A sua opinião
[Total: 1 Média: 5]