José Saramago: os anos da glória

2596
José Saramago
José Saramago

José Saramago nasceu em 1922, na Azinhaga, Ribatejo. O Prémio Nobel da Literatura, em 1998, confirmou o génio do escritor português mais reconhecido em todo o Mundo até Junho de 2010.

José Saramago é o mais premiado dos escritores portugueses da actualidade. O Prémio Nobel da Literatura de 1998 veio coroar uma carreira de sucessos literários, iniciada há mais de 50 anos, e que a Academia Sueca considerou um marco “na arte da apreensão contínua de uma realidade ilusória, através de parábolas sustentadas pela imaginação, compaixão e ironia“.

Saramago nasceu na aldeia ribatejana de Azinhaga, concelho da Golegã, no dia 16 de Novembro de 1922. Aos três anos, acompanhou os pais na mudança para Lisboa, onde tem vivido desde sempre. Ainda assim, não perdeu os laços com a aldeia onde nasceu, sobretudo, durante a juventude. Problemas de ordem financeira impediram-no de continuar os estudos, após ter concluído o ensino técnico.

No curriculum, conta com actividades tão diversas como jornalista, tradutor, editor, desenhador, funcionário da previdência e da saúde e serralheiro mecânico, que foi a sua primeira profissão. O primeiro livro conheceu a luz do dia em 1947. O romance chamava-se “Terra do Pecado”. Mas o sucesso só chegou quando o autor tinha já completado os 60 anos. Em 1982, “Memorial do Convento” abriu-lhe as portas do êxito. Trata-se de uma obra que, ao anunciar a escolha de Saramago para o Nobel da Literatura em 8 de Outubro de 1998, a Academia Sueca definiu como “um texto rico, multifacetado e polisémico”, combinado com uma “perspectiva histórica, social e individual”, dotado de uma “extraordinária riqueza de conteúdo e de imaginação, carateristicas da obra de Saramago, como um todo”.

No meio tempo que vai do final dos anos 40 até 1966, Saramago não voltou a publicar. Durante 12 anos, foi director literário e produtor de uma editora, a Estúdios Côr. Exerceu também crítica literária na revista Seara Nova.

Foi jornalista do Diário de Lisboa, no início dos anos 70, onde também foi responsável pelo suplemento de Cultura. Aqui, fez também comentário político. A passagem de Saramago pela imprensa faz-se também no Diário de Notícias, onde foi director – adjunto, em 1975.

José Saramago foi também membro da primeira direcção da Associação Portuguesa de Escritores.

A partir de 1976, dedicou-se exclusivamente à Escrita. Desde aí, intensificou-se a sua produção literária.

A obra de José Saramago estende-se pelas diversas áreas da Literatura: desde a Poesia à Crónica, do Diário ao Teatro, da Viagem ao Conto e ao Romance.

Saramago é um dos autores portugueses mais publicados em todo o mundo. Espanha, França, Itália, Polónia, Cuba, Rússia, Estados Unidos, Japão, Colômbia, México… são apenas alguns dos muitos países onde a sua obra tem sido traduzida.

É também um dos escritores mais premiados.
Para além do Nobel da Literatura 1998, que veio coroar uma carreira de sucesso, José Saramago recebeu, entre outros: o Prémio Vida Literária da Associação Portuguesa de Escritores, em 1993; o Prémio Consagração, da Associação Portuguesa de Autores, em 1995; e o Prémio Camões, no mesmo ano.

A nível internacional, Saramago conta também com várias distinções, nomeadamente em Inglaterra, onde, em 1993, recebeu o Prémio do Jornal “The Independent“, por “O Ano da Morte de Ricardo Reis“; e em Itália, que o distinguiu duas vezes pelo conjunto da sua obra, com Prémio Internacional Literário Mondello, em Palermo, e com o Prémio Literário Brancatti, em Zafferana, na Sicília, ambos em 1992.

Os livros de José Saramago

Romance:

  • 1947 – Terra de Pecado
  • 1977 – Manual de Pintura e Caligrafia
  • 1980 – Levantado do Chão
  • 1984 – O Ano da Morte de Ricardo Reis
  • 1986 – A Jangada de Pedra
  • 1989 – História do Cerco de Lisboa
  • 1991 – O Evangelho Segundo Jesus Cristo
  • 1995 – Ensaio sobre a Cegueira
  • 1998 – Todos os Nomes

Diário:

  • 1994 – Cadernos de Lanzarote I
  • 1995 – Cadernos de Lanzarote II
  • 1996 – Cadernos de Lanzarote III – Cadernos de Lanzarote IV

Poesia:

  • 1966 – Os Poemas Possíveis
  • 1970 – Provavelmente Alegria
  • 1975 – O Ano de 1993 Conto:
  • 1978 – Objecto Quase
  • 1979 – Poética dos Cinco Sentidos: o Ouvido

Teatro:

  • 1979 – A Noite 1980 – Que Farei com Este Livro?
  • 1987 – A Segunda Vida de Francisco Assis
  • 1993 – In Nomine Dei Viagem:
  • 1981 – Viagem a Portugal

Crónica:

  • 1971 – Deste Mundo e do Outro
  • 1973 – A Bagagem do Viajante
  • 1974 – As Opiniões que o DL Teve
  • 1976 – Os Apontamentos
Classificação
A sua opinião
[Total: 0 Média: 0]