Egas Moniz: 29 de novembro de 1874

1667
Egas Moniz
Egas Moniz

António Caetano Freire de Abreu Freire Egas Moniz era natural de Avanca, onde nasceu a 29 de Novembro de 1874. Pai da Leucotomia Pré-Frontal, como técnica de tratamento de psicoses, com ela viria a ganhar o Nobel da Medicina, em 1949.

António Caetano de Abreu Freire Egas Moniz

Nasceu em Avanca, em 29 de Novembro de 1874. Filho de Fernando de Pina Resende e de Maria do Rosário de Almeida e Sousa, foi o tio, Abbé Caetano de Pina Resende Abreu Sá Freire, o responsável pelos primeiros anos de Educação de Egas Moniz.

Formou-se em Medicina pela Universidade de Coimbra, em 1899. Aprofundou os estudos em Neurologia, em Bordeaux e em Paris. Em 1902, tornou-se professor na Faculdade de Medicina, em Coimbra.

Nove anos depois, foi transferido para Lisboa, como regente de Neurologia, cadeira de que foi o primeiro professor. Trabalhou como médico desta especialidade, no Hospital de Santa Maria.

Em 1903, estreou-se na política como deputado ao Parlamento. Aí permaneceu ao longo de várias legislaturas, para se tornar depois Ministro dos Negócios Estrangeiros. Ocupou também o cargo de Embaixador de Portugal em Madrid.

Egas Moniz foi ainda o primeiro presidente da delegação portuguesa na Conferência de Paz, em Paris.

Mas a política não é, definitivamente, a sua paixão. Acaba por abandoná-la, para regressar à Universidade e à Medicina.

É a partir daqui que se dedica exaustivamente à investigação da cirurgia cerebral como técnica de tratamento de perturbações mentais.

Descobre e desenvolve a angiografia cerebral e a leucotomia pré-frontal, sobre as quais escreve intensamente.

Em 1936, envolto em polémica quanto baste, Egas Moniz pratica, pela primeira vez, a leucotomia no Ser Humano. O desenvolvimento desta técnica vale-lhe a atribuição, em 1949, do Prémio Nobel da Medicina, o primeiro Nobel português.

Entre os inúmeros lugares e distinções que recebeu, fica o destaque para a presidência da Academia das Ciências de Lisboa, de 1928 a 1940; a presidência da Classe das Ciências, de 1945 a 1949; e a presidência honorária da Sociedade Luso-Espanhola de Neurocirurgia.

Egas Moniz foi também membro correspondente da Academia de Medicina de Paris; sócio correspondente da Real Academia de Medicina de Madrid; sócio estrangeiro da Sociedade de Oto-Neuro-Oftalmologia de Estrasburgo; e membro honorário da Sociedade de Neurologia de Nova Iorque, entre uma série de outras colaborações que estabeleceu um pouco por todo o mundo.

Entre a extensa bibliografia que deixou, note-se que a maior parte das obras publicadas são anteriores ao Nobel, ou seja, são anteriores a 1949. Como exemplo, ficam apenas alguns títulos: “A angiografia cerebral: aplicações e resultados em Anatomia e Fisiologia Clínica”, de 1934; “A leucotomia pré-frontal: tratamento cirúrgico de certas psicoses”, de 1937; e “Como cheguei a realizar a leucotomia pré-frontal”, de 1948.

Laureado com o Nobel da Medicina em 1949, pelo estudo e desenvolvimento da Leucotomia, Egas Moniz faleceu em Lisboa em 1955, quando contava 81 anos.

Classificação
A sua opinião
[Total: 0 Média: 0]