Partir sozinha à aventura

1806
Partir sozinha á aventura
Partir sozinha á aventura

Muitas são as pessoas que apreciam viajar sozinhas, simplesmente em busca da aventura e pelo prazer de conhecer novas culturas. E, se falarmos de uma mulher? Serão os riscos superiores?

Viajar sozinho é encarado por alguns como algo enfadonho, sem piada nenhuma, e que retira toda a beleza aos dias passados num outro país, até porque não se tem ninguém com quem trocar impressões. Ainda que alguns sejam apologistas de semelhante ideia, existem ainda algumas pessoas que gostam de viajar sozinhas, embriagando-se pelas culturas pelas quais passam. No entanto, uma coisa é falarmos de um homem a viajar sozinho, e outra, completamente diferente, é quando falamos de uma mulher que viaja sem companhia alguma. Se é esse o seu desejo, tenha em conta determinados aspectos que consideramos imprescindíveis para que a viagem consigo mesma seja perfeita e sem surpresas amargas!

Existem ainda alguns países que não encaram bem a mulher querer viajar sozinha. Por exemplo, em países muçulmanos, as mulheres não têm quase liberdade nenhuma e o facto de aparecer uma estrangeira a viajar sozinha pode suscitar ilações erradas. Zonas como Marrocos ou Egipto, África do Sul ou Rússia não podem ser rotulados de locais seguros para uma mulher viajar sozinha. Por isso, faça uma selecção e apague determinadas hipóteses de destino da sua lista, em prol da sua segurança. Se deseja assim tanto conhecer estes locais, o que tem a fazer é reunir um grupo de amigos e partirem à descoberta, pois sozinha é muito arriscado. Acredite que, estando sozinha, ninguém terá problemas em abordá-la na rua e ir além de uns simples “piropos”, que é o que por cá estamos habituados…

Ao ver-se uma mulher sozinha é natural que surjam galanteios. Na Grécia, Itália, Espanha, será difícil não ser assediada, enquanto que na Alemanha o máximo que pode acontecer é olharem-na, sem tão pouco lhe dirigirem a palavra. Indianos e árabes não terão problema algum em estar a “comê-la”, metaforicamente falando, com os olhos, mas a Jamaica é, indubitavelmente, o cúmulo do assédio, independentemente do sítio, hora ou lugar. Os hotéis são locais nos quais o assédio pode ser descarado! Por isso, evite dar muita conversa, nunca deixe a chave com o número do seu quarto à vista e caminhe sempre segura e discreta. Em caso de emergência, diga que está à espera do seu marido ou peça ajuda a alguém responsável pelo estabelecimento.

A roupa é também um tópico muito importante. Ainda que tenha uma forma particular de se vestir, procure adaptar-se um pouco à cultura do local onde se encontra. Se sair no Brasil com uns calções hiper curtos e um mini top ninguém vai ligar, mas se o fizer no Islão acredite que pode vir a ter problemas. O ideal é observar como as mulheres se vestem para que lhes possa seguir, minimamente, o exemplo. Em locais como Paris, a elegância dita as regras para as senhoras e faz com que as mesmas andem sempre impecavelmente vestidas. Lógico, que não lhe estamos a dizer para ir comprar um fato na primeira boutique, mas pode evitar os vestidos de praia, as sandálias, os tops e as calças de ganga. Aqui, o requinte é outro! Mas, tudo isto são situações que deve antecipadamente estudar antes de partir em viagem!

Se lhe apetecer sair à noite saiba que não é muito aconselhável deslocar-se para longe sozinha. Por esse motivo, aconselhamo-la a ficar num hotel no centro da cidade, com tudo um pouco em seu redor, para que não fique numa zona demasiadamente calma e periférica. Se lhe apetecer ir beber um copo a qualquer sítio, é preferível pedir informações na recepção sobre aquilo que realmente pretende para não ir parar a um local “estranho” e um pouco distante dos seus padrões de normalidade. É preferível ir de táxi do que utilizar qualquer outro meio de transporte, preservando assim a sua segurança. Evite levar qualquer coisa, por mínima que seja, que possa “denunciá-la” como sendo turista, pois aí o risco de ser vítima de qualquer acto de furto ou violência tem tendência a aumentar.

Quando for viajar leve o mínimo de roupa possível na mala/saco de viagem. Se começar a meter roupa dentro da mala vai chegar a uma determinada altura em que vai constatar que não tem forças para pegar nela. Por isso, faça uma pré-selecção de tudo aquilo que vai precisar, sem no entanto deixar de levar as coisas indispensáveis. Em aeroportos, estações de comboio, ou em qualquer outro ponto de embarque/desembarque, convém estar sempre bem atenta para ver para que local encaminham a sua mala. No entanto, mantenha sempre uma atitude descontraída, calma, e segura de si. Onde quer que vá, ou esteja, e se mostrar uma atitude determinada, ser-lhe-á bastante mais fácil contornar a situação, e as pessoas à sua volta não a tomarão como alguém frágil e desprotegido. E, sempre que estiver perdida, nunca peça informações a desconhecidos que passam na rua, mas sim a polícias ou pessoas responsáveis por estabelecimentos comerciais.

Para se prevenir melhor de furtos, aconselhamo-la a não andar com muito dinheiro, mas também não convém guardá-lo todo no mesmo sítio. Não ande com os seus documentos originais (é preferível deixá-los no hotel), mas sim com cópias destes, assim como deve estar sempre atenta quer esteja no meio da praça a admirar um monumento ou num restaurante a comer qualquer coisa. Entre em contacto com os seus familiares e amigos, e forneça-lhes o número do hotel onde está hospedada. Assim, todos saberão onde está, e “Mulher prevenida vale por duas”. Se, mesmo assim, quiser embarcar à aventura informe-se sobre tudo antes de viajar! Boa Viagem

Classificação
A sua opinião
[Total: 0 Média: 0]