O Satiricon uma sátira de costumes romanos escrita por Petrónio

883
O Satiricon uma sátira de costumes romanos escrita por Petrónio
O Satiricon uma sátira de costumes romanos escrita por Petrónio

Satiricon, uma sátira de costumes da Roma Imperial vista pelo olhar de dois jovens viajantes. Dois jovens nobres, Encólpio e Acilte, deambulam pelo mundo acompanhados de um servo, Gilton.

E as suas peripécias são contadas por Petrónio, que realiza ao mesmo tempo uma crítica social do tempo da Roma Antiga, pouco diferente da sociedade actual dita civilizada.

Satiricon

Datada do primeiro século da nossa era, é confirmado ser o autor um homem dedicado às letras da corte de Nero, que terá cortado as veias para escapar à vingança de Tigelino. Será este ditador o personagem mais visado no livro, na pele de Trimalquião?

Segundo Tácito, Petrónio fez o relato dos deboches do príncipe através desta narrativa. E as dúvidas são poucas quando lemos a descrição feita por Encólpio do banquete dado certa noite, onde se misturam os sabores mais estranhos com os mais debochados prazeres sexuais.

Na altura do seu lançamento, e como para provar que a censura às letras existiu desde sempre, o livro foi proibido aquando do seu aparecimento.

Foi no livro que Fellini se inspirou para o filme com o mesmo nome. Neste conto, Petrónio passa em revista os vícios e loucuras da época em que viveu e algumas das quais também terá saboreado.

A Europa América trás até nós o texto integral com todas as lacunas que o original apresentava. O primeiro fragmento do livro foi encontrado na segunda metade do século XV e os restantes apenas foram descobertos durante os séculos XVI e XVII.

Para descobrir mais acerca da tão fascinante cultura romana.

Classificação
A sua opinião
[Total: 1 Média: 5]