Pela Igualdade de Oportunidades

1766
Pela Igualdade de Oportunidades
Pela Igualdade de Oportunidades

Com o objectivo de criar um guião dirigido às escolas e aos professores para o tratamento do tema da igualdade de oportunidades entre os sexos, um grupo de professores elaborou um livro com formas práticas de ensinar este tema nas salas de aula.

Pela Igualdade de Oportunidades

Combater um ensino de desigualdades provendo os professores de meios para conseguirem alcançar os alunos e levá-los a questionar as questões de igualdade entre rapazes e raparigas é o objectivo principal das obras agora lançadas numa colaboração Projecto Mais e Associação UMAR, tendo como público alvo os professores, alunos e jovens em geral.

Elaborado por um grupo de professores confrontados com o desafio de integrar o tema num contexto de aprendizagem, este volume apresenta formas práticas de inserção da temática nas várias disciplinas e nos vários anos escolares.

Numa sala maioritariamente composta por mulheres, decorreu a apresentação dos dois volumes que englobam esta obra, o primeiro dividido em duas partes, prática e teórica, compostas de reflexões acerca do tema e de exemplos práticos levados a cabo em algumas turmas e o segundo composto por uma compilação de textos variados acerca do tema Igualdade de Oportunidades.

Presente na cerimónia Maria de Belém Roseira, anterior ministra do extinto Ministério para a Igualdade, teceu alguns comentários acerca do assunto, ressaltando a problemática do aumento da pobreza no feminino, com as elevadas taxas de mulheres que recebem pensões sociais e rendimento mínimo garantido, a dificuldade em encontrar emprego e a maior rotação neste que existe no feminino, o não alcance de cargos superiores e os salários desiguais face ao mesmo tipo de trabalho.

Maria de Belém referiu ainda o modelo de organização social ‘que se cimentou durante milénios, o que leva a que seja mais difícil e demorado a implementação de políticas de igualdade, devido à incapacidade das pessoas de verem a injustiça das situações em que se encontram. Por isso é necessário colocar as pessoas a pensar.’

E concluiu com a afirmação de que ‘esta obra não está completa porque, à medida que se evolui, também é necessário sermos mais exigentes’ lançando o desafio aos autores presentes de continuar sempre a renovar o trabalho agora lançado.

Fátima Barata, José Carlos Frias, Maria Albertina Pereira, Maria Clara Norton Brandão e Mariana Lagarto foram os professores que aceitaram o desafio lançado pela UMAR e que compilaram nestes volumes o trabalho efectuado através da investigação das causas e razões das desigualdades e a promoção destes direitos entre os sexos.

Fátima Barata falou em nome de todos os professores referindo que este se tratou de ‘um trabalho de sensibilização dirigido a professores e que serve para alertar para a importância deste tema numa escola que se deseja democrática e que deve contribuir para a dignificação de todo e de cada um.’

Com distribuição gratuita, estes dois livros prometem vir a revolucionar algumas mentalidades, se forem usados devidamente com instrumentos de trabalho para a consciencialização de um tema tão importante quanto o é a igualdade de direitos entre os sexos.

Classificação
A sua opinião
[Total: 0 Média: 0]