Mergulhar no perigo das piscinas

2586
Mergulhar no perigo das piscinas
Mergulhar no perigo das piscinas

É tempo de pensar apenas em água e em mergulhar nos seus frescos e azuis redutos. E que melhor para o fazer do que numa piscina, sem os incómodos da água salgada, areia e, muitas vezes, falta de estacionamento. Mas, atenção ao perigo das piscinas!

Mergulhar no perigo das piscinas

Passar o dia numa piscina com água de má qualidade, pode trazer-lhe mais riscos que benefícios. No caso da água não ser desinfectada regularmente e se encontrar infestada de micróbios, as consequências para a sua saúde podem ser bem graves.

Existe uma directiva portuguesa que obriga a que a água das piscinas seja filtrada e desinfectada com substâncias como o bromo, ozono ou cloro. Este último é utilizado para matar os micróbios e germes, introduzidos nas piscinas através do corpo humano.

Cada nadador introduz na piscina uma enorme quantidade de germes, porque cada centímetro cúbico da nossa pele está coberto de milhões de bactérias e cada milímetro de saliva tem dezenas de milhão.

Não se assuste com estes números, porque os problemas apenas se colocam quando quem utiliza a piscina está ou esteve doente, introduzindo na água os germes patogénicos, que irão espalhar doenças.

Entre estes agentes, contam-se as bactérias como a “pseudomona aeruginosa” que está na origem de doenças como a otite e a sinusite; os estreptococos fecais, microrganismos que se encontram no intestino grosso humano e que poluem, por falta de higiene dos utentes, as piscinas e que podem transportar consigo o risco de doenças como amigdalites e reumatismo.

Mais conhecidos são os fungos, cuja acção nociva origina o aparecimento de micoses cutâneas, sendo a mais conhecida o pé-de-atleta. As verrugas também podem ser uma consequência da falta de higiene das piscinas. São pequenos tumores benignos que atingem mais as crianças do sexo feminino. O excesso de cloro na água pode ainda provocar conjuntivite.

As áreas mais afectadas do corpo são os olhos, o nariz, a garganta, a pele e o aparelho digestivo.

Um dos apontadores para saber se a água onde mergulha é fiável, é sua a transparência, que é também um factor de segurança para evitar choques debaixo de água e para permitir o salvamento de alguém que corre perigo debaixo de água.

Antes de mergulhar, tenha em conta que pode estar a entrar num verdadeiro banho de doenças e problemas.

Se deparar com uma piscina que apresente falta de higiene, seja na água ou nos vestuários, não deixe de apresentar queixa à gerência e mesmo aos órgãos autárquicos da localidade.

Classificação
A sua opinião
[Total: 0 Média: 0]