A Lei do Cumprimento

4895

Cumprimentar é uma exigência nos dias de hoje. Dependendo da situação e das pessoas envolvidas, saber cumprimentar implica o conhecimento dos critérios da boa educação.

Quando encontra alguém na rua, é comum cumprimentar-se as pessoas que conhece. Consoante o grau de afinidade e de à vontade que se tem com as repectivas pessoas, assim é o género e intensidade do cumprimento. Tão antigo como outras tradições da nossa cultura, cumprimentar é um gesto mais que enraizado na nossa sociedade.

As pessoas não se tratam todas de igual forma. Ao ser apresentada a alguém que não conhece, deve sempre esticar o braço e cumprimentá-la com um aperto de mão. Sem grandes exageros e de forma peremptória, esboçar um sorriso pode ser uma boa alternativa para que não seja demasiadamente informal. Não trate logo a pessoa por “TU”, e deixe que o conhecimento evolua gradualmente até chegar a essa fase de cumplicidade.

Na rua ou num local público pode cumprimentar um amigo seu de maneira bem mais informal. Todavia, mesmo que a pessoa seja muito chegada a si, dê-lhe apenas dois beijos na cara sem começar logo de imediato com abraços ou palmadas carinhosas. Por muito amigos que sejam, é preferível optar pelos abraços e gargalhadas estrondosas apenas quando se encontrarem sózinhos, longe dos olhares reprovadores. Abraços em demasia e gargalhadas intensas não ficam muito bem em plena rua ou num local público.

Se for você a apresentar um amigo seu a outra pessoa, convém dar um pouco a noção daquilo que essa pessoa faz e citar alguns pontos comuns entre ambos para facilitar a comunicação. Quando um homem é apresentado a uma senhora e esta está sentada, o que acontece é que a mesma não tem obrigação de se levantar. Só o deve fazer caso o sujeito seja mais velho ou de uma condição laboral superior à sua.

No seu local de trabalho, as apresentações devem ser elaboradas com muito mais cuidado do que na vida privada, pois aqui está em causa a sua reputação laboral. Normalmente, os homens são apresentados primeiro que as mulheres, ainda que se deva ter sempre em conta a posição hierárquica de ambos, e o cumprimento é realizado da forma mais formal possivel.

Na esfera laboral, a relação que tem com os seus superiores, ao nível do tratamento e dos cumprimentos, vai depender da liberdade que os mesmos lhe dão. Mesmo que a relação com os mesmos seja muito pouco formal, quando surgirem situações em que vai ser apresentada a outras pessoas, nunca os deve tratar por um estatuto inferior àquele que os mesmos possuem. Mantenha sempre a postura e o respectivo título, para dar uma imagem de respeito e de cordialidade.

Há que estabelecer regras e critérios bem específicos nas relações que mantém dentro do seu local de trabalho e na sua vida social/pessoal. Cumprimentar é sempre necessário, mas as formas de cumprimento variam consoante diversos factores, como aliás foi mencionado anteriormente. Tenha sempre presente estas regras que definem o grau de formalidade do cumprimento, não caindo em excessos de formalidade ou de demasiada informalidade.

Classificação
A sua opinião
[Total: 3 Média: 4.7]