Conduzir no Feminino, conheça os mitos

2188
Conduzir no feminino
Conduzir no feminino

As mulheres não sabem conduzir!- esta é uma frase pronunciada por muitos homens, mas a verdade é que em matéria de condução não há distinção de sexos. Os “nabos” do asfalto estão aí a prová-lo!

Conduzir no Feminino

Antigamente, eram raras as mulheres que conduziam. Esta não era uma área na qual a existência de mulheres fosse bem vista, mas com o passar do tempo a afluência de candidatos femininos ao exame de condução começou a ser uma realidade habitual.

Os chumbos no exame teórico ou prático não fazem distinção de sexo, e em matéria de acidentes os casos mais graves acontecem com homens e não com mulheres.

Lógico que os “machos” encontrarão logo alguma desculpa para tal facto mas, e como contra factos não há argumentos, o melhor mesmo é remeterem-se ao silêncio.

O número de mulheres a conduzirem na estrada é de tal ordem que actualmente são já muitas as segurados que possuem seguros mais baratos para as mulheres.

Esta redução de preços nada tem a ver com o facto das mulheres terem mais acidentes do que os homens, mas sim pelo facto de estes serem menos dispendiosos do que os dos homens e também por apresentarem um número inferior de ocorrências.

Sem dúvida que nem todas as mulheres sabem conduzir correctamente, e que muitas delas não respeitam as regras básicas do código, mas o ideal é remetermos este problema para um núcleo geral, que inclui homens e mulheres, e não fazer uma distinção de sexos.

Aliás, em matéria de incumprimento todos erram! Afinal, somos todos seres humanos!

Um dos problemas característicos das mulheres, e que elas mesmo o reconhecem, é o estacionamento. Estacionar é um quebra cabeças para muitas mulheres, que de vez em quando raspam o carro, provocam pequenas batidas no carro do lado, e têm uma enorme dificuldade em perceber que, por mais que tentem, o carro não cabe naquele espaço mínimo.

Depois, há também aquelas que só estacionam a sua viatura quando estão diante de um espaço enorme, onde cabem dois carros bem compridos. Na realidade, este último caso pode não ser um problema, pois assim evitam-se as tais raspadelas e batidas ligeiras.

O importante é deixar o carro estacionado num sítio permitido, sem tapar garagens ou encravar outro veículo. Afinal, quem disse que não se pode ser um pouco preguiçoso?

Além da falta de paciência e preguiça de muitas mulheres, é comum os homens criticarem as mulheres pela sua distracção na estrada.

Esquecem-se de olhar com atenção antes de entrarem numa rotunda ou num cruzamento, no qual não têm prioridade, os piscas nem sempre “funcionam”, e as manobras são, muitas vezes, feitas de forma repentina.

Aconselhamo-la a deixar de pensar no seu namorado, que ainda não lhe ligou, a esquecer as pilhas de papéis que vai ter que organizar no trabalho, e a ignorar, por momentos, o seu novo penteado que não ficou tão bom como queria.

A estrada exige muita concentração, o que implica estar atenta aos pequenos imprevistos que possam surgir!

Todas as mulheres sabem que os homens são uns stressados no meio do trânsito, em especial se estivermos a falar de grandes cidades.

Lá porque a fila atrás de si começa a apitar desenfreadamente um milésimo de segundo após ter caído o verde, não significa que tenha que arrancar à pressa, sem se certificar que não vem nenhum carro. Isto porque nem sempre estar sinal verde significa que se possa avançar, tendo em conta os malucos que se encontram por essas estradas fora.

Por isso, só depois de se certificar que não vem ninguém é que pode avançar! Tente não se distrair com a música que está a ouvir na rádio, com o charme do condutor do carro ao lado do seu, e faça um hiper esforço para nunca deixar o carro ir abaixo ao arrancar.

A primeira coisa que um homem vai dizer é “Pronto, tinha que ser uma mulher!

Frequentemente as mulheres costumam ser acusadas de conduzir devagar demais e de provocarem enormes filas. Embora às vezes esta afirmação possa ser verdadeira, os homens costumam, por seu lado, abusar na velocidade.

Todavia, convém salientar que há casos de excesso de velocidade e de pessoas que conduzem devagar demais em ambos os casos.

Ainda assim, não vá a 50Km hora quando pode acelerar um pouco mais! Em muitos casos, os acidentes sucedem precisamente pelo facto das pessoas irem muito devagar. Respeite o código e as regras de velocidade, mas não ouse alterá-lo por si mesma!

Com alguns problemas pelo meio, a verdade é que as mulheres também não conduzem mal de todo. Existem mesmo grandes condutoras que conduzem melhor ainda do que muitos homens, excessivamente confiantes e apressados, que diariamente desfilam nas estradas portuguesas.

Ah! Um conselho para os homens: o excesso de velocidade não faz de vocês melhores condutores, as ultrapassagens perigosas também não, e a música demasiadamente alta é perfeitamente evitável!

Classificação
A sua opinião
[Total: 0 Média: 0]