Plantas e legumes ao natural

1718

Expressões como agricultura biológica ou produtos naturais circulam, cada vez mais, por aí. Vamos dar-lhe uma sugestão: adira também a este movimento.

Como?

Ponha de lado os produtos químicos e passe a recorrer a métodos e produtos naturais para cuidar das suas plantas, jardim ou horta.

Desta maneira, além de estar a contribuir para um melhor ambiente, ainda assegura a saúde e segurança da sua família e animais domésticos.

Vamos por isso explicar-lhe, numa série de próximos artigos, como conseguir um jardim ou uma horta bonitos, produtivos e, acima de tudo, saudáveis.

Para quem pensa que a agricultura biológica implica carregar enormes quantidades de estrume, vamos, antes de tudo, pôr alguns pontos nos is.

 

Os produtos químicos são mesmo perigosos?

Em princípio não… Antes de serem postos à venda, todos eles têm de ser aprovados pelo Ministério da Agricultura.

Assim, e teoricamente, nenhum faz mal à saúde ou apresenta riscos consideráveis para o meio ambiente. O perigo maior encontra-se no facto de que, ao mesmo tempo que se exterminam pragas ou doenças, também se matam insectos úteis para a vida das plantas.

Os seus efeitos negativos sobre o solo e os lençóis de água também não são possíveis de se controlarem.

É o caso, por exemplo, dos adubos químicos. Se na Primavera as plantas absorvem grande quantidade de nitratos, no Outono o mesmo não acontece. Resultado: os nitratos em excesso são levados pelas águas.

 

Mas as plantas não vão ficar mais vulneráveis a pragas e doenças?

É possível que, durante o período de transição, se verifique um aumento das pragas ou doenças. Isto deve-se ao facto do regresso dos predadores naturais poder demorar cerca de um ano.

O melhor é mesmo ter um pouco de paciência… E lembre-se que, muitas vezes, uma doença pode ser sinal de um crescimento insuficiente – procure ver se a planta recebe todas as condições necessárias ao seu bom desenvolvimento.

 

A agricultura biológica só põe de parte produtos químicos?

Não, produtos acabados como a turfa também são abolidos. A turfa provém de territórios raros e preciosos, demorando muitos anos para se formar. No fundo, está-se a destruir um património natural. Além disso, existem soluções muito melhores na natureza.

Produtos para jardim à base de teca também são ecologicamente duvidosos – a sua origem encontra-se em árvores das florestas tropicais.

 

O que fazer com os restos de produtos químicos?

A lei pune quem deitar fora, em locais impróprios ou com o lixo de casa, embalagens que contenham produtos químicos.

Verter os líquidos num qualquer canto do jardim também não é uma boa solução.

Informe-se na sua câmara municipal – existem localidades que têm uma recolha organizada deste tipo de produtos.

 

Este tipo de agricultura dá mais trabalho?

Um estudo britânico diz que não… Um jardim bem organizado exige menos atenção se se utilizarem todas as medidas de prevenção.

O cultivo de legumes, esse sim, é que exige, nos primeiros tempos, mais trabalho para a fertilização da terra.

O que fazer com os restos de vegetais que não servem para fertilizar?

Ramos de árvore, ervas daninhas e plantas doentes ou com pragas são, simplesmente, lixo.

Queimar não é muito boa ideia – a libertação de monóxido de carbono é elevada. Se o fizer, use uma incineradora e nunca queime vasos ou tinas de PVC, pois este material liberta substâncias cancerígenas (as dioxinas).

Com as cinzas pode fertilizar o solo – elas são ricas em cálcio, potássio e outros minerais.

Pode ser difícil, ao princípio, renunciar aos produtos químicos. Mas vai ver que vale a pena e que não é assim tão complicado.

Um jardim bem organizado é já meio caminho andado para combater pragas e doenças.

Sabia que o relvado cortado muito curto favorece o aparecimento de ervas daninhas? Que os frutos podres no chão podem ajudar ao aparecimento de fungos e bactérias? Ou, ainda, que os vasos das sementeiras não devem ser reutilizados sem serem lavados primeiro?

Estas e outras ideias vão ser desenvolvidas nas próximas semanas.

Desde como melhorar o solo até aos cuidados a ter com uma estufa, vamos mostrar-lhe que tudo isto é possível sem uma única gota de químicos.

Classificação
A sua opinião
[Total: 0 Média: 0]