Bicharada em Férias

1279

Normalmente longe do stress do dia a dia, raramente os seus bichinhos de estimação precisarão de férias. Mas como precisa você, surge a questão: o que fazer com eles? Abandonar é que nunca.

 

A separação do seu gato ou cão é sempre dolorosa, especialmente quando, em férias, até já tem mais tempo para lhes dar atenção. Mas optar por o levar consigo também pode ser desagradável para o animal.

Mesmo assim, no nosso país, já existem muitos hotéis, parques de campismo e aldeamentos turísticos que aceitam animais, provando que o bom senso está a aumentar. A dificuldade de integrar o animal no local das férias é que leva muitas pessoas a abandoná-los, o que não serve como desculpa, é bom de ver.

Antes de partir, é obrigatória uma visita ao veterinário, para pôr em dia o livro de vacinas e fazer um exame geral da saúde do seu tareco ou bóbi.

As viagens são as fases mais desagradáveis para os animais. É o calor do carro, os barulhos estranhos, o desconforto e a longa permanência num local diferente. E se os cães até podem gostar de viajar de carro, com os gatos é diferente. Por isso nada melhor do que uma cesta apropriada, fechada, onde colocou a sua manta preferida e mesmo o brinquedo que ele mais gosta.

Não dê de comer antes da viagem ou apenas um pouco de ração seca, para evitar que vomite, mas dê sempre muita água, ou vá molhando o focinho do animal. No caso dos cães é bom parar de duas em duas horas para ele desentorpecer as pernas e fazer as necessidades.

Prepare-se porque se é a primeira viagem, as coisas não vão ser fáceis. Se achar que o animal vai sofrer muito, porque já é nervoso por natureza, peça conselho ao veterinário para lhe administrar tranquilizantes.

Se tem de viajar de avião, os tranquilizantes são mesmo a melhor opção, porque o animal vai enfrentar uma situação de enorme stress, para além de não a ter ao pé dele para o acalmar. Não deixe de contactar a companhia por que optou para saber que passos podem dar para melhorar a viagem do seu companheiro de quatro patas.

No caso de não querer fazer o bichinho passar por tudo isto e optar por o deixar para trás, pode optar pelos hotéis para animais, que devem ser sempre verificados pessoalmente por si, e deve faze-los acompanhar por objectos familiares, para evitar os traumas. Também pode deixá-los com familiares e amigos ou em casa, sob a orientação de um amigo ou familiar que se encarregue de velar por eles, mas apenas no caso dos gatos, já que os cães não suportam ficar sozinhos. Os gatos preferem a calma da casa vazia, com alguns mimos pelo meio de quem lhes dá de comer.

 

Se optou por o levar consigo, no destino pode então usufruir da companhia do seu ternurento, mas ainda abalado, amigo felpudo. Divirtam-se juntos numas férias mais especiais, porque gozadas na convivência de ambos.

Classificação
A sua opinião
[Total: 0 Média: 0]