Agapornis ou a ave do amor, saiba tudo sobre ela

8671
Principais tipos de Agapornis
Principais tipos de Agapornis

Coloridos, divertidos e brincalhões são os adjectivos que estas aves mais recebem. Os Agapornis devem viver sempre aos pares (casais). Um elemento apenas torna-se triste e reservado, podendo mesmo numa fase posterior vir a morrer de tristeza.

Hábitos dos Agapornis

Essa necessidade de viver aos pares leva a que sejam conhecidos por Inseparáveis, Aves do Amor, Lovebird ou ainda por Periquito Beijoqueiro.

A vida em comunidade

A presença de outros indivíduos no mesmo espaço não os incomoda, por isso, se tiver espaço, pode juntar vários casais, eles vão adorar, já que no seu estado selvagem vivem em grupos constituídos por muitos casais.

Aprendizagem de sons humanos

Não é um pássaro falante, como as Araras, Caturras ou os Papagaios, mas aprende a balbuciar algumas palavras curtas e sons humanos.

Estado adulto

Quando o pássaro é adquirido já na fase adulta mostra-se assustado com a nossa proximidade, mas com o tempo, vai-se habituando à nossa presença e, irá deixar de se assustar e de se debater na gaiola quando chegamos perto.

Existem nove espécies de Agapornis:

  • Agapornis-roseicollis ( a mais popular e fácil de encontrar no mercado)
  • Agapornis-personata (uma das mais vulgares)
  • Agapornis-fischeri (uma das mais vulgares)
  • Agapornis-nigrigenis (uma das mais vulgares)
  • Agapornis-swindernia
  • Agapornis-taranta
  • Agapornis-cana
  • Agapornis-lilianae ou Agapornis do Niassa
  • Agapornis-pullaria

Alimentação

Para alimentar estas aves, pode comprar a mistura para periquitos grandes, existente nas casas de alimentação para animais ou nas grandes superfícies. Além disso pode optar pela ração, uma opção mais dispendiosa e nem sempre bem aceite.

Não coloque muita comida diariamente, opte por colocar menos quantidade e mudar todos os dias a comida e a água.

Os suplementos, são sempre bem vindos, as vitaminas e legumes e frutas, excepto o abacate. Vá experimentando um de cada vez, para conseguir identificar as suas preferências.

Geralmente estes animais adoram, broculos, feijão verde, grelos, agrião, espinafres, cenoura.

Estas aves não dispensam a fruta, vá variando mas não se esqueça de tirar sempre os caroços, alguns criam dificuldades digestivas desagradáveis, outras podem mesmo tornar-se letais.

Tenha muita atenção lave previamente muito bem em água corrente todos os legumes e frutas que der ás suas aves.

Alimentação na fase reprodutiva

Na fase reprodutiva é aconselhável que a alimentação seja reforçada:

  • acrescentando-se um pouco mais de aveia à dieta,
  • aumentando-se a variedade de frutas, legumes e verduras,
  • acrescentando-se suplemento vitamínico na água ou ração e papa de ovo regularmente.

Dimorfismo sexual

Nos Agapornis é relativamente difícil. Os Agapornis-cana, Agapornis-pullaria e Agapornis-taranta, são os únicos que oferecem um dimorfismo seguro, as restantes espécies só se pode identificar o sexo observando-se o espaçamento entre os ossos pélvicos:

  • no macho, os ossos encontram-se bem unidos.
  • nas fêmeas, os ossos oferecem um espaçamento tal que conseguimos colocar o nosso dedo indicador entre eles.

O que torna ainda mais difícil a identificação do sexo é que os machos convivem bem entre si, assim como as fêmeas. Esse comportamento pode equivocar-nos facimente.

O método mais seguro apesar de mais dispendioso é fazer um exame de sangue, para identificação do genótipo.

Se colocar os dois pássaros na gaiola, pode identificar as seguintes situações:
  • se o ninho for construído mas a suposta fêmea não colocar ovos, podemos estar perante um macho. Mas o mais provável neste caso, é que o ninho não seja construído. Mas não despreze a possibilidade da fêmea ser estéril;
  • segundo, um macho experiente que constrói bem o ninho. Se notar que há postura de muitos ovos num curto espaço de tempo, então provavelmente está perante duas fêmeas. Estas põem um ovo por dia.

Reprodução da espécie

Os filhotes tem cores mais pálidas do que as da ave em fase adulta. Geralmente, após a primeira muda das penas irão adquirir a sua coloração de adulto.

O espaço ideal

O ideal é que a reprodução seja feita numa gaiola, com dimensões aproximadas de 70x30x40cm e um ninho de 20x17x17cm,  contendo apenas um único casal.

Se deixarmos os pássaros em ambiente comunitário, teremos dois problemas:

  • a formação de casais indesejados
  • disputas pelo mesmo ninho.

O acasalamento

O cortejo do macho é simples, seguido da cópula.

A fêmea coloca os seus ovos geralmente de madrugada, logo ao amanhecer. Cada postura pode ser composta por 4 a 6 ovos, na maioria das vezes são 4.

Os ovos

Os ovos demoram 18 a 22 dias para se dar a eclosão, mas, por segurança devemos aguardar até o último dia. Não é necessário separar os ovos,  pelo fato de estarem um pouco atrasados.

As crias

A fêmea de Agapornis cuida bem das suas crias mesmo que tenham idades diferentes.

Tenha atenção á alimentação das suas aves durante a fase reprodutiva.

Ambiente ideal

O melhor ambiente para os Agapornis é um ambiente sossegado. O sol pela manhã (até ás 11h00) é fundamental.

É importante que as aves sejam habitualmente manejadas, para que se habituem à presença dos humanos, isto é particularmente importante na época reprodutiva, porque, caso necessite de mexer no ninho para verificar alguma situação, não corra o risco da fêmea abandonar o choco.

Tamanho e Origem

Tamanho médio em adulto: 15 centimetros
Peso médio em adulto: 50 gramas

Esta ave é originária das florestas tropicais de África, no entanto podemos encontrar Agapornis  desde a Costa Atlântica até à Costa do Índico.

 

Classificação
A sua opinião
[Total: 6 Média: 4.7]