Namoro à distância, será que vou aguentar?

5017
Namoro à distância, será que vou aguentar?
Namoro à distância, será que vou aguentar?

Ele está lá e você aqui! Por circunstâncias da vida estão longe um do outro, separa-os centenas de Kms ou, quem sabe, um oceano. Conseguirá o Amor resistir a essa separação geográfica? Há quem afirme que jamais conseguiria manter um namoro à distância, e há aqueles que juram ser possível.

Namoro à distância

Exemplo disso é que actualmente estão juntos, lutando contra as partidas da vida e os caminhos que o destino lhes traçou. Namorar à distância é complicado, mas se tiver as ‘super-forças’ necessárias as coisas podem compor-se.

A relação amorosa que mantém com essa pessoa é muito forte, mas ele está muito longe e as probabilidades de estarem juntos, um dia, num raio de poucos kms, são escassas. Valerá então a pena?

Em primeiro lugar deve ponderar se essa pessoa é mesmo aquilo que deseja, se abdicava do seu mundo para ficar com ela e se essa pessoa é merecedora desse sacrifício. Se as suas respostas são positivas então dizemos-lhe que ‘Sim’, que vale a pena!

Manter um namoro à distância implica uma grande confiança de ambas as partes, sinceridade, respeito mútuo e muito amor à mistura. É preciso ser-se muito forte e, se há momentos em que a voz é suficiente para estancar um pouco a saudade, existem outros em que nem uma hora ao telefone resolve a situação. Só piora ainda mais! Por isso, estar longe da pessoa que se gosta é doloroso, revoltante e injusto para ambas as partes.

Nos telefonemas, cartas ou mensagens é possivel ver se a outra pessoa está mais fragilizada ou mais carente. Nesse caso é necessário uma grande ajuda por parte do outro, demonstrando-lhe que estão juntos e que a distância não consegue quebrar o sentimento que os une. Apele para a poesia, e verá que os efeitos são extraordinários para confortar.

Surpreenda a outra pessoa com telefonemas divertidos e loucos, mas sempre com uma carga emocional forte. Se tiver Internet pode aproveitar para falar com ele.

Ainda que não o esteja a ver ou a ouvir-lhe a voz, embora já seja possivel, as palavras conseguem, em muitos casos, ser mais explícitas do que a voz. Nos momentos de maior saudade não se deixe ir abaixo e pense ‘naquilo’ que os une. Afinal, você sabe que também ele deseja estar consigo.

Envie-lhe muitas fotografias suas, quase em jeito de filme, contando-lhe uma determinada situação ou aventura. Faça montagens com as fotografias que tiver suas e dele, e relembre-lhe que está sempre com ele, mesmo estando ausente. Não se centre somente no seu namorado que está longe. Aproveite para fazer outras coisas, saia com os seus amigos e divirta-se ao máximo.

Nunca se isole do mundo, fechada em casa, a afogar as mágoas. Não vai trazer-lhe qualquer proveito, e apenas contribuirá para ficar ainda mais em baixo. A solidão e o isolamento costumam trazer consequências desagradáveis, que podem levar a estados mais preocupantes. Além disso, nunca guarde para si o que está a sentir.

Desabafe com uma amiga ou então, agarre num papel e deite para fora tudo o que está a incomodá-la. O silêncio não é nada produtivo nestas situações.

Se o seu namorado foi para longe estudar você sabe que quando o curso terminar ele volta, mas se foi alguma oportunidade de trabalho que o levou a partir há sempre a possibilidade de você ir ter com ele ou ele consigo. Se a distância assim não o permitir, então a sua força e coragem terão que ser realmente fortes, mas nunca desanime porque a vida dá muitas voltas.

Porém, e se reside longe do seu namorado, apenas porque já se conheceram assim e depois a atração transformou-se num amor sólido, então um dos dois tem que tomar a decisão de ir viver para perto do outro. As visitas são sempre uma possibilidade em qualquer um dos casos, mesmo que sejam curtas.

Estando longe da pessoa que gosta a vida pode parecer-lhe negra, sem sentido ou interesse, mas perceba que o seu companheiro é apenas mais um elemento que compõe o seu mundo. Embora sendo um dos elementos mais importantes, ele não deve roubar-lhe a alegria de viver. Primeiro está você e, só depois, Ele e o resto do Mundo! Não se trata de egoísmo, mas sim aprender a sobreviver e a cuidar de si!

Classificação
A sua opinião
[Total: 1 Média: 5]