Virgínia Costa Matos: Um exemplo de coragem

2316
Virginia Costa Matos
Virginia Costa Matos

Virgínia Costa Matos, fará parte da nossa revista, Mulher Portuguesa e, você pode contar com a sua experiência e esclarecimento sempre que necessitar.

Virgínia Costa Matos

Nasceu em Lisboa, mas foram as ruas de Cascais que a acolheram na idade da infância. Os recantos de um Colégio Inglês, em Carcavelos, fizeram-na conhecer outras culturas e tradições. Com o Mestrado em Educação Física, Virgínia Matos, nem poderia imaginar o desafio que a vida, anos mais tarde, lhe preparava…

A Mulher de que hoje lhe falamos, não é uma Mulher qualquer. A sua vida está repleta de histórias, recordações, dissabores amargos que a vida reservou para si. Mas, a história desta Mulher, pode ser a história de tantas outras mulheres, com um final idêntico ou mais dramático que o seu. Em breve, poderá contar com ela, aqui na Mulher Portuguesa.

Virgínia Costa Matos é uma Mulher vivida, exploradora de culturas e do mundo. Viveu em Fort Collins, onde tirou o Mestrado em Educação Física, em Oslo e na Flórida. Foi a caminho deste local que conheceria o seu actual companheiro, viajando mais tarde para a Suiça.

Doutorada em Motricidade Humana, Virginia foi a primeira mulher a especializar-se nesta área. Esteve em várias Comissões, Concelhos Científicos e o seu intenso estudo em nutrição, nos EUA e na Suiça tendo por base a Trimlines, permitiu-lhe que em 1994, de regresso ao seu país, abri-se o Centro de Emagrecimento Trimlines, do qual é actualmente Directora.

“A luta por uma boa qualidade alimentar é constante, pois exige uma boa organização e alguma vigilância”, segundo o pensamento de Virgínia Costa Matos que assim se identifica com os seus clientes.

No preciso momento que lhe foi diagnosticado esse problema cruel, Virgínia Costa Matos, receou que: ” Ía morrer sem ter feito, tanta coisa que queria fazer. Achei que era cedo demais para mim(…) Gostaria de morrer quando eu quisesse”. De seguida limitou-se a analisar a sua vida, para ver o que estava certo e errado, para ver o que tinha contribuido para o problema..

Os ventos da fatalidade surgiram perante si e Virgínia, decidiu reformular a sua vida: “Trabalhava menos de forma a reduzir o stress, aprendi a preocupar-me menos(…) e a rir-me mais. Passei a dar muito mais valor à vida e aos seus pequenos prazeres, como por exemplo, olhar o céu azul e ver as nuvens(…)”.

Houve a necessidade de refazer a sua alimentação, adaptando-a às necessidades específicas de quem teve cancro de mama, assim como de praticar mais exercício físico, tudo como forma de combater a possibilidade de re-incidência do cancro.

Foi no auge desta fase negra de existência, que Virgínia Matos se deixou seduzir pela escrita. “Ao escrever descobria que havia tanto para dizer e até, para sonhar”. Virgínia prossegue o seu depoimento: “Quando era ainda nova tinha muitos diários(…), mas parei quando a estudar Confúcio, senti que a escrita me fazia entrar em parafuso”.

Virgínia retomaria a escrita nas férias de verão, antes de ter tido o cancro e, “quando o médico me disse que tinha que arranjar uma actividade criativa, como parte do meu processo terapêutico, não tive dúvida qual seria”. Virgínia declara que: “Escrever era a forma de chegar a milhares de mulheres que tinham ou que tinham tido esta doença”.

O livro Elevação, foi a ponte para chegar a tantas mulheres também elas vítimas de cancro. É importante que as pessoas percebam que: “Se o cancro é detectado precocemente a mulher tem 85% de probabilidades de não morrer desta doença.

Acho que temos que desmistificar esta doença(…), daí que o livro Elevação-Vencer a Morte, transmita esta minha positividade.” Actualmente Virgínia vive de forma mais apaixonada e entusiasmada do que antigamente.

Hoje a Directora dos Centros Trimlines, afirma ser “Uma pessoa cheia de sorte”. O seu problema foi diagnosticado a tempo, e a sua força e coragem foi superior a qualquer outro factor inesperado. Há que lutar e continuar a caminhar até porque, “O maior prazer que podemos ter, é aquele que sentimos quando criamos algo”.

Virgínia Costa Matos, fará parte da nossa revista, Mulher Portuguesa e, você pode contar com a sua experiência e esclarecimento sempre que necessitar. Até lá, esta emblemática Senhora, aconselha-a a pensar, no seguinte: “Mais importante do que o tempo de vida que temos, é o que fazemos com a vida”. Pense nisso.

Classificação
A sua opinião
[Total: 1 Média: 5]