A Terapia Floral por Thais Delboni

2588
A Terapia Floral por Thais Delboni
A Terapia Floral por Thais Delboni

A Mulher Portuguesa foi até á Clínica dos Poetas, em Paço de Arcos, conhecer um pouco mais sobre o mistério da Terapia Floral, pela voz da Terapeuta/Psicóloga Thais Delboni.

Entrevista a Thais Delboni

Formada em Psicologia, Thais Delboni é a entrevistada desta semana. Dá consultas de Terapia Floral na Clínica dos Poetas, que existe há cerca de três meses, e dedica-se a ajudar os outros através da Terapia Floral. E, por isso, a Mulher Portuguesa decidiu ir até ao seu encontro para ficar a saber um pouco mais sobre os benefícios das essências florais. Num ambiente acolhedor, a Clínica dos Poetas situa-se num zona calma, e tem ao dispor dos seus clientes inúmeras essências que possibilitam o bem estar do ser humano, nas mais diversas áreas, quer seja no âmbito da sexualidade, stress, depressão, entre outras.

Com um à vontade e simpatia notáveis, típicas do povo brasileiro, Thais começou por nos contar como se deu o seu primeiro contacto com as essências florais, numa altura em que se dedicava somente à área da psicoterapia: “Uma das minhas grandes buscas era reduzir o tempo do processo terapêutico. Nunca acreditei em terapias muito longas, e sempre as achei muito pouco viáveis economicamente. Nessa busca, entrei em contacto, em 1986, pela primeira vez, com essências florais. Foi aí que descobri que ao usar as essências o processo terapêutico era muito mais rápido.”

Afirma que se sentiu atraída pelas essências florais na medida em que estas tratavam especialmente os problemas psicológicos, e que podiam ser uma mais valia no tratamento das pessoas, minimizando muito a dor emocional do paciente.

O papel das essências, segundo nos contou, é fundamental para ajudar as pessoas a superarem os problemas psicológicos e emocionais. Declarou-nos mesmo que “há momentos em que é muito difícil superar os problemas, temos que olhar para as sombras, para as coisas que nos incomodam, e não é muito fácil. E, com as essências, eu percebi que isso não acontecia. As pessoas conseguiam estar mais conscientes das suas qualidades e não-qualidades, mas de uma forma suave. Passei, por isso, a incorporá-las completamente no meu trabalho“.

Dedicando-se à psicoterapia, e à psicoterapia com essências florais, Thais acrescentou que “hoje as pessoas procuram-me mais por causa da terapia floral porque o custo é mais baixo do que o da psicoterapia. Não há necessidade de ser semanal, pode ser feito uma vez por mês, embora haja casos que obrigam a uma maior frequência, mas tudo depende do que a pessoa está a viver.”

Cada sessão custa 10 mil escudos, e nela é feita uma avaliação sobre o que está a acontecer na vida da pessoa e o que ela quer trabalhar especificamente, e quais são os aspectos que ela julga importantes serem trabalhados. Neste âmbito, a nossa entrevistada esclareceu-nos que “a Terapia floral é uma terapia que respeita muito aquilo que a pessoa quer. Não é como o processo psicoterapêutico, no qual vamos buscar histórias do passado. Na Terapia Floral fazemos aquilo que chamo de “descascar da cebola“, onde se vão tirando as camadas até que se consiga recuperar a essência.

A busca principal é que as pessoas encontrem o seu melhor, que possam permitir que as suas almas não encolham. Quando estamos mal é como se a nossa luz se encolhesse, e com as essências é como se essa luz se voltasse a expandir”. O modelo padrão para o tratamento é de um período de 30 dias, tomando 4 gotas por dia, em 4 vezes, mas isso é algo variável, consoante o caso e a prescrição do terapeuta.

Em Portugal, a faixa etária das pessoas que a procuram vai desde os 18/20 anos até aos 50, tanto homens como mulheres. Os tratamentos mais procurados têm na sua essência problemas de stress, depressão, principalmente nesta altura em que, com a chegada do frio e chuva, as pessoas têm uma maior tendência para a melancolia.

As questões sexuais, os bloqueios, e os medos, nos mais variados âmbitos, são também os problemas pelos quais as pessoas mais procuram Thais Delboni. Segundo a nossa entrevistada, existe uma procura mundial crescente relativamente aos problemas de stress e depressão. As palavras de Thais, que explicam o motivo para estes problema, são claras: “As pessoas não têm qualidade de vida, e a busca desenfreada pela posse das coisas e pelos bens materiais, sem se preocupar com a qualidade de vida, origina isso. A família e o lazer são vitais para que não se entre em stress, e hoje em dia estes aspectos estão em segundo plano. As pessoas têm que recarregar as suas baterias de alguma forma porque senão não se consegue aguentar o dia a dia.”

Os portugueses têm estado a reagir muito bem em relação à Terapia Floral, até porque a cada mês há mais pessoas interessadas neste método, o que para Thais Delboni é uma agradável surpresa.

No Brasil, a Terapia Floral tem uma grande aceitação, e isso é visível pelo facto de haver já cursos de pós graduação neste área. Os números falam por si: 10 000 pessoas formadas em Terapia Floral, e entre 1500 a 2000 pós graduadas.

Thais Delboni falou-nos também da maior procura que as medicinas não convencionais têm vindo a registar: “As pessoas estão cansadas de sofrerem os efeitos da indústria química, e procuram terapias mais saudáveis. A grande maioria procura primeiro a medicina convencional, mas uma medicina não elimina a outra. No fundo, elas podem ser complementares. Há casos em que é necessário a medicina convencional, mas a Terapia Floral pode minimizar o efeito dessa forma de medicina“.

Thais Delboni tem leccionado aulas de informação sobre a terapia, essências, sobre os sistemas florais, no nosso país, e a partir de Fevereiro vai começar a dar cursos em Portugal, com uma duração de 18 meses, nos mesmos moldes nos quais a nossa entrevistada lecciona Terapia Floral em universidades brasileiras.

Elogia o trabalho dos media nos últimos tempos, permitido que as pessoas tenham um contacto próximo com a Terapia Floral, e afirma que actualmente todas as classes sociais já sabem da existência desta terapia. Considera mesmo que é uma terapia barata, porque um frasco dura para 30 dias. Além do mais, há ainda outra vantagem: as pessoas podem fazer psicoterapia, recorrendo às essências e ao psicoterapeuta, ou automedicarem-se a elas mesmas, até porque muitas dessas pessoas preferem não compartilhar os seu problemas com o psicoterapeuta.

Em Portugal, a nossa entrevistada afirma existirem bons terapeutas, com formação adquirida no exterior, mas isso não implica que os profissionais não sejam bons. Aliás, Thais declara mesmo serem muito bons. Dedica muito do seu tempo ao mundo das essências florais, cerca de 9/10 horas por dia, mas acrescenta que adora viajar, conhecer pessoas, e que é fascinada pelo ser humano. Gosta também de arte, cinema, e sentar-se num café, ficando simplesmente a observar as pessoas. Já fez muitos amigos nos seus clientes, até porque, e segundo ela, “eu acho impossível compartilhar a vida de uma pessoa e não nos emocionarmos. Tem que haver uma aproximação entre nós e a pessoa que nos procura, senão jamais ela vai-se sentir à vontade para se abrir connosco. Já fiz muitos e queridos amigos“.

No final, um conselho especial de Thais Delboni, alguém que já ouviu e ajudou muitas pessoas a mudarem o rumo da sua vida: “Procurem ser o melhor que puderem em cada situação. Se estiverem a ser o melhor que podem, nunca se vão culpar, arrepender, ou sentir-se infelizes, porque fizeram o melhor. Se tiver essa consciência, a pessoa brilha, porque sabe que deu o seu melhor. É impossível não brilhar! Se eu souber que fiz o melhor tenho paz, e julgo que é isso que o ser humano procura.

No momento em que estiver serena, conseguirá estar plena!“. E, afinal, não é isso que todos procuramos? Porque não descobrir você também a paz e serenidade que as essências florais lhe podem oferecer? Se já experimentou mil e um caminhos para encontrar a paz que necessita, quem sabe esta não seja uma boa alternativa! Nós demos a conhecê-la, mas resta a si optar por ir ou não ao encontro da Terapia Floral!

Classificação
A sua opinião
[Total: 1 Média: 5]