Adelaide Ferreira: adoro cantar o Amor

2348
Adelaide Ferreira
Adelaide Ferreira

Estava uma tarde amena. Acomodadas calmamente numa esplanada, a baia de Cascais sorria para nós, ali mesmo à nossa frente. A Mulher Portuguesa, foi entrevistar uma das vozes mais potentes e com maior garra da música portuguesa. Eterna apaixonada pela música e pela sua filha Luana, de três anos, Adelaide Ferreira abriu as portas do seu mundo…

Adelaide Ferreira, começou por fazer teatro e realizou um Curso de Formação Profissional em Évora, no Centro Cultural desta cidade. Mergulhou no teatro durante três anos, mais propriamente no Teatro Aberto, até que Fernando Tordo e Paulo de Carvalho a descobriram enquanto actriz e cantora. Adelaide recorda:”Ouviram-nos a mim e ao meu colega, e convidaram-nos para integrar o musical que estavam a fazer na altura. No total, ainda fiz muitos musicais e até um drama, e só depois é que me decidi ser cantora.”

Dos seus tempos de infância, Adelaide Ferreira conta que “Canto desde que me lembro. Perdia-me no jardim e cantava John Lennon, porque as músicas dele me tocavam particularmente.Gostava também muito de Pink Floyd e ainda hoje é um tipo de música que me transcende muito Depois, o facto de ter estado ligada a uma pessoa que era o meu companheiro na altura, também fez com que me decidisse pela carreira musical.”

Uma rebelde por natureza, é o melhor adjectivo para rotular Adelaide Ferreira. Indo de encontro a todas as regras da sociedade, esta rebeldia era apenas a sua natureza. Todavia, no que diz respeito a assédios sexuais, Adelaide declara: “Nunca me senti assediada no mundo da música. Ainda que alguém me tivesse assediado, eu confesso que gostei de o ser. Mas, sinceramente não me recordo e também a minha memória é curta, ou melhor é muito selectiva.” Após esboçar risos irónicos, Adelaide Ferreira confessa que abdicou do teatro, pois achou que se não optasse acabaria por se dispersar e, como sentiu um forte potencial dentro dela acabou por não hesitar. Ainda assim, nutre uma forte paixão pelo teatro e não hesitaria novamente, em voltar a fazê-lo.

Adelaide Ferreira - entrevista
Adelaide Ferreira – entrevista

Quanto às letras que canta, Adelaide esclarece que: “Existem dois albúns que foram todos eles escritos por mim, Amantes Imortais e O Realizador está Louco. Eram dois albúns de rock pesado, mas ultimamente a maior parte das letras são também elas escritas por mim.”

Quando questionada sobre a sua fonte de inspiração, Adelaide Ferreira é peremptória e conta que “Inspiro-me na vida. Em todo o acumular de experiências e vivências, na loucura, no perigo mas tudo isto acaba por ser muito abrangente.” O amor é um tema evidente nas suas músicas, e Adelaide focou de imediato:” Adoro cantar o amor. Neste momento, só poderia cantar o amor. Músicas como “Dava Tudo”, “Alma Vazia” foram escritas por mim, e tenho ainda neste ultimo albúm a música “Dou-te o Mundo”, feita por mim e dedicada à Luana, minha filha.”

O próximo album que Adelaide está a produzir e que sairá em Setembro/Outubro, será uma continuidade do último “Só Baladas“, mas com algumas novidades. Neste albúm, Adelaide conta com a intervenção de nomes como Fernando Girão, João Pedro Pais, Tó-Zé Brito ou Rui Veloso, para além de haver ainda a assinalar dois duetos. A cantora assegura que “Tenho a certeza que vai ser o meu melhor disco. Isto porque eu quero despertar as pessoas para o amor, porque o amor é a arma mais bonita do mundo.”

Luana, é a menina dos seus olhos e a pessoa que hoje ocupa o papel principal. Adelaide Ferreira, conta que já foi mais dificil conciliar a vida pessoal com a profissional, mas ainda assim declarou que quase não sai de casa, a não ser para ir trabalhar. Não come chocolate, já não fuma, não bebe, não pode esforçar a voz ou estar em locais com ar condicionado, porque senão a sua voz sofre as consequências já esperadas. Aliás, quando sobe a um palco tem muito medo que a voz lhe falhe, e Adelaide conta que “Quando subo a um palco, a primeira coisa que me vem à cabeça é o amor. Tenho muito medo de decepcionar as pessoas, por isso é que trabalho muito. Isto porque, as pessoas são tão importantes para mim, como a minha filha.”

No futuro Adelaide Ferreira ambiciona fazer arranjos musicais, promovendo outras vozes e ficando mais no anonimato. Por este motivo, tem vindo a estudar muita música para estar apta a realizar este seu desejo. Num fim de tarde magnífico, a Mulher Portuguesa despediu-se da voz rebelde e ao mesmo tempo doce de Adelaide Ferreira, mas perguntou-lhe ainda por quem daria tudo na vida. Adelaide Ferreira, olhou o céu azul de Cascais e confessou: “Eu até era capaz de morrer por uma causa e, como é óbvio, pela minha filha. Para ela ficar bem, eu certamente morreria…”.

Classificação
A sua opinião
[Total: 0 Média: 0]