Crónica: Encontros imediatos

900
Cronistas da MulherPortuguesa
Cronistas da MulherPortuguesa

Encontros imediatos na viragem do século, a terra foi invadida por extra-terrestres, e ao que tudo indica eles não vêm em missão de paz.

A AFP avançou recentemente com uma notícia acerca do trabalho de um grupo de cientistas com uma teoria bastante insólita: a gripe que neste momento afecta meio mundo e ameaça o outro meio não é terrestre. É verdade.

Encontros imediatos

De acordo com esta equipa, o vírus da gripe chegou a nosso planeta numa chuva de poeira cósmica que afetou especialmente a Europa.

Podemos então dizer que, na viragem do século, a terra foi invadida por extra-terrestres, e ao que tudo indica eles não vêm em missão de paz. São microscópicos, dificilmente destrutíveis e com uma inteligência e capacidade de organização que leva a crer que se trata de uma raça superior.

Invadem os seres humanos pelas vias respiratórias e começam o seu lento e penoso processo de destruição – não nos querem eliminar, querem apenas incapacitar-nos para poderem tomar conta do planeta. O pouco que se sabe acerca destes seres é o suficiente para adivinhar o esquema de invasão.

Espalham-se e instalam-se uniformemente pelo nosso corpo inteiro, munidos de objectos contundentes com os quais atingem incessantemente os músculos e articulações fazendo com que só estejamos bem praticamente imóveis e na horizontal.

Alguns elementos – possivelmente os de mais alta patente – formam equipas especiais que se alojam na cabeça, garganta e nariz.

Na cabeça trabalham no sentido de impossibilitar o contacto normal entre seres humanos, que passam a não suportar o ruído normal da comunicação verbal.

No nariz constróem poderosas barragens que impedem o fluxo normal de ar e fluidos. Abrem-na esporadicamente para descarregar a pressão, o que resulta em muitos e monumentais espirros.

Por sua vez, na garganta trabalham equipados com botas pesadas de forma a pontapearem incessantemente as amígdalas fazendo-as inchar e deixando-as particularmente sensíveis aos líquidos, sólidos e vibrações provenientes das cordas vocais.

Por enquanto, a única forma conhecida de frustrar a invasão extra-terrestre é a não reacção. Ou seja, qualquer ser humano a ser atacado terá de permanecer imóvel, sem falar, sem se mexer e a comer apenas o essencial para se manter vivo.

Eventualmente esta atitude reduzirá as dores de cabeça, não deixará piorar as da garganta e disfarçará, dentro dos possíveis, as dores musculares.

Tudo indica que a única forma de fazer com desistam da invasão é fazendo-os desistir. Vamos a isso, preparem os cobertores e os pijamas, despeçam-se da vossa própria voz por uns dias e juntem-se à luta contra os ETs.

Cronista da Mulher Portuguesa: Patricia Esteves Nunes

Classificação
A sua opinião
[Total: 0 Média: 0]