Não sou Feminista, mas… de Sophie Grillet

978
Não sou Feminista, mas...
Não sou Feminista, mas...

Não sou Feminista, mas… de Sophie Grillet da Editorial Presença

Não sou Feminista, mas…

Sophie Grillet é a autora deste ‘Não sou feminista, mas…’, um livro no qual os direitos das mulheres estão em evidência, muitas vezes através de um sentido de humor bem apurado.

Ser mulher tem as suas vantagens, mas tem também os seus problemas. Durante muito tempo mulheres do mundo inteiro tentaram lutar por um universo feminino melhor, onde fosse possível gozarem da mesma liberdade que os homens. Mas, e se em alguns locais isso foi alcançado, em outros as coisas continuam a serem feitas como no século passado.

Muitas mulheres, um pouco por todo o mundo, são ainda submetidas a práticas impensáveis e que não fazem qualquer sentido. A mutilação dos órgãos genitais, o facto de a noiva poder ser morta caso a família do noivo não fique satisfeita com o dote, ou serem escorraçadas em algumas tribos na altura da menstruação, por serem associadas ao demónio, são apenas alguns dos exemplos cruéis dos quais as mulheres são vítimas.

Ainda que muito se tenha falado acerca do feminismo, a verdade é que este acaba por ser praticado em algumas situações, ainda que em outras a mulher nem possa sequer ter direito à sua própria opinião e palavra. No fundo o que deseja uma feminista: ver os seus direitos igualados aos dos homens, lutando por uma igualdade entre os sexos. E, nesse sentido, todas as mulheres deviam ser feministas!

Por isso, e utilizando uma linguagem irónica, auxiliada também por pequenas ilustrações, o livro ‘Não sou feminista, mas…’ dá a conhecer várias realidades sociais e humanas às quais as mulheres são submetidas. Sem grandes dramatismos, Sophie Grillet aborda no seu manual factos e situações históricas, assim como aspectos banais do quotidiano, que ajudam o leitor a compreender melhor esta realidade.

Da colecção ‘O Clube das Amigas’, a autora optou por contar todo o movimento de luta das mulheres, encaixando-o em lugares específicos da história social, dando a conhecer as formas de lutas femininas. Sem recorrer a uma linguagem maçuda, a autora revela toda a objectividade e ironia das suas palavras, e chega mesmo a reforçá-las com as ilustrações que acompanham todo o livro.

Um livro da Editorial Presença, escrito por Sophie Grillet, e traduzido por Lucília Filipe, que conduz o leitor até ao universo das causas pelas quais as mulheres se bateram ao longo dos tempos, embora muitas delas nos pareçam hoje em dia totalmente absurdas. Um livro repleto de ironia e de um sentido de humor bastante inteligente!

Classificação
A sua opinião
[Total: 0 Média: 0]