A morte de uma senhora de Theresa Schedel

741
A morte de uma senhora
A morte de uma senhora

A Morte de Uma Senhora, da mesma autora de As Casas da Celeste, é um romance de grande qualidade, que alia à riqueza e intensidade dos quadros e das personagens retratados, o bom gosto de uma prosa extremamente elegante e requintada.

A Morte de Uma Senhora

É uma saga de uma família de tradições aristocráticas, dominada pela força do elemento feminino, que nos vai sendo revelada com um enorme sentido da complexidade e subtileza que envolvem a intimidade familiar, e uma sensibilidade profundamente lúcida e sagaz.

Após dez longos anos de ausência, Margarida Breça de Miranda regressa ao seu país, à sua família e ao seu passado. Na Quinta do capitão, com o seu vasto casarão branco, em plena Estremadura, Lúcia Breça de Miranda, aquela figura pequenina e frágil a quem todos chamam a Capitoa, e que sempre foi o pilar mais sólido de toda a família, aguarda a morte na grande cama de pau-santo e salva as suas últimas energias para receber, ainda com vida, a filha há tanto esperada.

O tempo, impiedoso, vai-se escoando, e há tanto para contar, revelações silenciadas, segredos guardados ao longo dos anos, expectativas, desejos, palavras inauditas que irão alterar para sempre a visão que margarida construiu do pequeno mundo dos Breça de Miranda.

Uma obra notável, imbuída de sabedoria de vida, profundamente humana no sentido mais amplo da palavra.

Theresa Schedel
Theresa Schedel de Castello Branco nasce fruto do casamento entre uma portuguesa e um alemão.

Em 1939, e após concluir a sua formação no Liceu Alemão, faz o exame de admissão à Universidade – ABlTUR – mas o planeado e tão sonhado curso de Línguas Orientais na Universidade de Heidelberga é desfeito pelo eclodir da li Guerra Mundial.

Segue o percurso da catalogação e organização de cartas de família, cobrindo 80 anos da vida particular e pública de uma figura feminina da sociedade portuguesa do século XIX.

Paralelamente realiza pesquisa documental a pedido de grandes instituições como o SMITHSONIAN INSTITUTE, assim como para diversos particulares entre eles o Prof. Donald Howard, concretizada no livro The Battle of Bussaco – Massena vs. Wellington.

Em 1963 recebe uma Menção Honrosa no concurso de reportagens do Diário Popular. Durante quatro anos trabalha na elaboração da obra A Vida do Marquês de Sande, livro que publica em 1972, e em seu seguimento é convidada pela Imprensa Nacional Casa da Moeda a escrever sobre a temática da vida monástica feminina em Portugal na Idade Média, da qual resulta a obra Lorvão sob as Abadessas Perpétuas –Vidas, Usos e Costumes num Mosteiro Feminino Português de 1221 a 1563.

Ainda no decorrer das suas pesquisas documentais publica Os Painéis de São Vicente de Fora – As Chaves do Mistério (1994) e Os Painéis de São Vicente de Fora – Investigação ou Adivinhação? Consciente da ausência de livros de leitura fácil sobre os Descobrimentos, dedica-se também à escrita de um ensaio histórico denominado Na Rota da Pimenta. Os Primeiros Tempos dos Portugueses na Índia.

Esta reconhecida ensaísta estreia-se na literatura de ficção com o magnífico romance As Casas de Celeste, que denota uma autêntica escritora plenamente amadurecida na sua linguagem narrativa. A Morte de Uma Senhora é o seu segundo romance de ficção.

Classificação
A sua opinião
[Total: 0 Média: 0]