O estado da meningite pneumocócica em Portugal

1369
A Meningite Pneumocócica
A Meningite Pneumocócica

Já ouviu falar da Meningite Pneumocócica? Sabia que em Portugal existem números alarmantes de pessoas portadoras desta bactéria, ainda que só alguns a desenvolvam?

A meningite pneumocócica

Em Portugal, cerca de meio milhão de crianças, até aos 10 anos de idade, e 150 000 adolescentes são portadores da bactéria pneumocócita (streptococcus pneumoniae). Porém, deste número estimativo de valores só alguns poderão desenvolver a doença, embora possam propagá-la facilmente a outras pessoas.

É esta bactéria, a bactéria Streptococcus pneumoniae, a causadora de meningite, septicemia, pneumonia bacteriana e meningite pneumocócica. O problema de haver uma maior verificação da existência da Streptococcus pneumoniae é que até aos anos 80 a bactéria era sensível às penicilinas e beta-lactâmicos, mas a partir desse período tem vindo a observar-se um aumento de resistências, em alguns países, superior a 30%, como é o caso de Portugal.

A infecção pneumocócica em Portugal é responsável, anualmente, por uma média de cerca de 1800 internamentos com 18000 dias de hospitalização, em todas as idades. Estes valores correspondem a custos anuais de cerca de um milhão de contos. No caso específico da meningite pneumocócica, e de acordo com o INE, faleceram em Portugal, entre 1980 e 1999, 127 pessoas vítimas desta doença.

Se analisarmos com uma maior precisão estes dados, constataremos que 20 dos casos foram crianças entre os 0 e os 10 anos, e 10 casos foram adolescentes com idades entre os 10 e os 19 anos. O nosso país tem sido palco de inúmeros internamentos motivados pela doença, quer seja de crianças, jovens ou pessoas mais velhas.

No total foram 597 internamentos entre 1993 e 1999, o que correspondeu a 10379 dias de internamento. Neste período, o grupo etário dos 35-64 anos foi o mais afectado com 180 episódios de internamento, um total de 3584 dias de internamento, seguido depois do grupo etário do 1 aos 4 anos, com 146 episódios que equivalem a 2374 dias de internamento.

Entre 1993 e 1999, a meningite pneumocócica foi responsável por 27 internamentos, ou seja 442 dias de internamento, de crianças entre os 0 e 9 anos de idade. No mesmo período, 5 internamentos, que correspondem a 66 dias de estadia hospitalar, verificaram-se no grupo etário dos 10 aos 19 anos devido a esta doença.

Actualmente, a vacina existente demonstra uma eficácia razoável, mas ainda não a pretendida. Só pode ser administrada nos adultos, e em crianças com idade superior a 2 anos de idade, o que por si só já trás desvantagens pois a bactéria ataca ainda antes desta idade.

Há pouco tempo foi desenvolvida uma nova vacina, especificamente para a meningite pneumocócica, que nos estudos realizados em crianças demonstrou uma eficácia superior a 97% em todas as idades.

A vacina chega a Portugal a partir de Junho, e espera-se que reduza em larga escala os casos de meningite, septicemia, pneumonia e otites em crianças.

A vacina terá associado um custo um pouco elevado, mas é importante não nos esquecermos da eliminação das consequências que a vacina proporciona. A introdução da vacina no Plano Nacional de Vacinação e a comparticipação da mesma devem ser analisados segundo a sua importância relativamente aos benefícios para a saúde.

Classificação
A sua opinião
[Total: 1 Média: 5]