O presépio de Natal, a magia de uma tradição

8244
Presépio de Natal, uma tradição portuguesa
Presépio de Natal, uma tradição portuguesa

Das mais antigas tradições portuguesas, o Presépio de Natal é, ainda hoje, uma decoração sempre presente no Natal português.

Antigamente competia a todos os membros da casa a montagem do presépio, única decoração de Natal, antes das árvores cobertas de enfeites e importadas de outras paragens.

Fazer o presépio

O presépio era uma das tradições mais importantes nas casas portuguesas. A imagem do menino apenas era colocado entre as palhinhas do estábulo após a missa do galo, cerimónia que marcava o nascimento do menino Jesus.

Cumprido este ritual, a família reunia-se para a ceia, de bacalhau com batatas ou polvo e filhoses, guardado que estava o arroz doce ou formigos para o almoço do dia seguinte. E o presépio reinava na casa até ao dia de Reis.

Origem do presépio

O presépio é uma tradição que remonta ao século XIII e que ainda hoje se cumpre na maior parte dos lares. As primeiras imagens que representam a Natividade foram criadas em mosaicos no interior das igrejas e templos, remontando ao século VI. Ainda que os presépios já fossem uma tradição pelo menos do século II, a verdade é que para os pagãos os deuses solares também nasceram em grutas: Zeus, Dionísios e Agni.

O primeiro presépio que consta na história foi elaborado na Igreja de Santa Maria em Roma, sendo posteriormente este costume alargado a outras igrejas.

Foi pela mão de S. Francisco de Assis (1181- 1226) que o presépio ganhou a representação que a Bíblia descreve da natividade, ocorrida numa gruta, com uma manjedoura, animais e figuras esculpidas, uma representação que se tornaria popular em todo o mundo cristão. São Francisco começou a divulgar a ideia de criar figuras em barro que representassem o ambiente do nascimento de Jesus.

O primeiro presépio foi construído por em 1224, tendo sido celebrada uma missa que foi descrita como tendo um ambiente verdadeiramente divino.

O presépio em Portugal

Em Portugal os presépios sempre tiveram enorme aceitação por parte da população, sendo que a árvore de Natal, até meados dos anos cinquenta era totalmente desprezada e mesmo algo mal vista nas cidades, sendo totalmente ignorada nos campos.

A grande tradição sempre foi a dos presépios, sendo os mais famosos os de Machado de Castro. Noutras zonas, como em Elvas, era hábito decorar-se o presépio com elementos naturais, buxo, cizirão e trigo grelado (searinhas).Um mês antes do dia de Natal, lançavam-se em pratos ou pires, pequenas porções de trigo, humedecido para germinar mais depressa (searinhas) e era com estes elementos naturais que se construíam os presépios. Este é um hábito um tanto perdido nos dias de hoje.

Fazer o presépio de Natal

Em qualquer casa comercial pode comprar um presépio com as figuras principais e que não ocupam muito espaço.

Como fazer um presépio de Natal
Como fazer um presépio de Natal

Mas a magia dos presépios ainda continua em muitas aldeias de Portugal e em várias casas onde a construção deste espaço mágico continua a ser uma tradição tão importante como a árvore de Natal e os doces natalícios.

Classificação
A sua opinião
[Total: 5 Média: 4.8]