Quando as crianças são as vítimas de maus tratos e abusos sexuais

2635
Quando as crianças são as vítimas de maus tratos
Quando as crianças são as vítimas de maus tratos

As vítimas de maus tratos e de abusos sexuais começam a atingir números catastróficos. O acontecimento é inesquecível, mas as marcas psicológicas são ainda maiores.

Vítimas de maus tratos

O silêncio é o confidente mais fiel das crianças e adolescentes que são vítimas de abusos sexuais. Encontram no silêncio da sua voz, o único refúgio real através do qual podem tentar esquecer. Tentam levar a vida para a frente, mas aquele momento persegue-os para sempre, no pensamento e na alma.

Quando as crianças são as vítimas

A fraqueza, a culpa e a insegurança são os sentimentos característicos das pessoas que foram vítimas de abusos sexuais. Em idades nas quais não é possível compreender o que se está a passar, as crianças vivem uma vida amedrontada pelo medo de voltar a sentir aquela sensação que a consome de dor. Nos adolescentes, a revolta consegue ser, por vezes, superior ao medo. Embora o silêncio seja o recurso mais utilizado, a mente nunca esquece a hora do abuso sexual ou dos maus tratos.

Marcas para toda a vida é o que as vítimas de abusos sexuais guardam consigo. Mulheres, que desde muito novas passaram de ‘meninas a senhoras’, sem saber muito bem o que isso que dizer, e que não têm a experiência de vida suficiente para perceber o que sucedeu. Infelizmente, muitas crianças e jovens são vítimas de abusos sexuais. Protagonizados por familiares, conhecidos ou desconhecidos, os abusos sexuais são uma experiência problemática que as pegadas do tempo jamais conseguirão apagar.

Por causa dessa experiência traumática, muitas das vítimas quando chegam à idade adulta têm sempre o hábito de se culpabilizar por coisas que não dependeram somente delas. Daí que, muitas delas, nunca consigam ser seguras de si mesmas, face ao grave estado de insegurança que há muito as aprisionou. A pessoa que delas abusou, à partida, é alguém muito próximo e, para as vítimas, é complicado compreender porque motivo a pessoa que as trata com carinho, as magoa ao mesmo tempo.

Pelo facto de terem confiado na pessoa que delas abusou, as vítimas têm sempre uma grande dificuldade em confiarem nos outros. Normalmente, são pessoas muito desconfiadas, que raramente acreditam nos sentimentos positivos dos outros em relação a si próprias. Vivem confrontadas com o medo, com o receio de serem novamente atraiçoadas e passarem pela mesma experiência.

O pai é muitas vezes a pessoa que abusa da criança ou do adolescente. Por muito grave que seja, esta é uma realidade que está a aumentar a olhos vistos. Pais que abusam dos seus filhos, sem qualquer pudor ou respeito pelos mesmos. O choque é tremendo não só para as crianças, como para os restantes familiares, mas tentar apagar o erro e aceitar o perdão é impossível para o lado da vítima.

Quando chegar a altura de começarem a descobrir a sua sexualidade, estas pessoas demonstram um maior acanhamento e inibição, do que as outras pessoas ‘normais’. Demasiadamente tímidas, podem adoptar pela via da solidão e de um isolamento inexplicável.

Uma boa terapia e acompanhamento psicológico pode ser uma boa solução para todos aqueles que já foram vítimas de abusos sexuais. Todavia, os danos far-se-ão sentir para todo o sempre.

Classificação
A sua opinião
[Total: 1 Média: 5]