Os nomes no mundo automóvel

1298
História do automóvel
História do automóvel

Se no início dos veículos motorizados os seus inventores orgulhosamente os baptizavam com os seus próprios nomes, hoje em dia as denominações são bem diferentes. Fique a conhecer algumas, quem sabe mesmo a do seu carro.

Ford -T Foi no passado milénio, corria o ano de 1885 quando Karl Benz registou a patente por ter concebido e experimentado com sucesso o ‘primeiro’ veículo a vapor. Tratava-se de um veículo de três rodas que ficou conhecido como o Triciclo Benz, o primeiro do que viria a ser uma enorme industria de veículos automóveis. Um outro engenheiro alemão, Gottlieb Daimler, completou o seu primeiro veículo sem cavalos no ano de 1886, um veículo mono cilindrico que alcançava uma velocidade máxima de 16 Km/h. Daimler juntou-se a Benz e começaram a criar veículos motorizados, com a marca Daimler, Benz e Mercedes-Benz, um novo veículo com características especiais e assim baptizado em honra de Mercedes, a filha de Karl Benz.

Em 1902 surge a primeira fábrica americana de automóveis, a Dureya Motor Wagon Company, Illinois, propriedade dos irmãos Dureya e ao mesmo tempo Henry Ford está a substituir o quatrociclo motorizado por um motor de 2 cilindros e 4 CV de potência, o famoso Modelo-T.

Na Inglaterra o génio de William Morris faz erguer a British Motor Corporation – Leyland – Morris e mais tarde a Austin. Na França primeiro Loius Renault depois André Citroën. Na Itália Ettor Bugatti faz os Bugatti da época. August Otto na Alemanha revoluciona com o seu perfil de motor OTTO.

Mais recentemente, as marcas de automóveis optaram por dar nomes diferentes às suas criações, optando por nomes de países, de animais e até mesmo símbolos da astrologia. Até a década de 70 a Fiat identificava os seus carros através de números, mas passou mais tarde a dar-lhes alguns nomes que até podem parecer estranhos à primeira vista.

Por exemplo, o que é que significam as palavras Brava e Tempra e o que é que têm a ver com a estética dos respectivos veículos? Para estas opções, a Fiat usou o italiano bravo, com uma conotação de competente, capaz e foi usado o feminino porque na Itália o automóvel é tratado como la macchina. Já o Tempra é ligado a temperamento, com referência à forte personalidade estilística do modelo, além da referência ao tratamento de têmpera que confere ao aço de maior dureza.

O Fiat Palio fica a dever o seu nome a um prémio que era tradicionalmente atribuído ao vencedor de uma corrida de cavalos da Idade Média, e que ainda hoje é realizada na cidade italiana de Siena, cidade que por sua vez dá o nome ao sedan da Fiat. O mesmo significado geográfico tem o Elba, numa referência à ilha de Elba, na Itália. E o Uno? Bem esta é fácil, significa o primeiro, o único dentro de um novo conceito de projectos de automóveis pequenos.

A Ford já é conhecida pela diversidade na origem dos nomes dos seus carros. A Ranger, por exemplo, vem do inglês e significa patrulheiro, definindo as aplicações da pick-up com versatilidade para trabalhar em asfalto ou terra. Já o Fiesta é espanhol e significa festa, sendo que nos Estados Unidos o nome ficou Fiesta, para se adequar à pronúncia local. Mondeo é uma corruptela do francês monde (mundo) e a criação serviu para facilitar a pronúncia em vários países e ser o carro mundial da Ford. Da astronomia veio Taurus, que é a constelação de Touro, e a Ford foi buscar o nome Ka na mitologia egípcia, que significa o espírito que se aloja nas pessoas para garantir força.

A Volkswagen recebeu imensa influência brasileira para baptizar alguns dos seus veículos, dando-lhes nomes de algumas das cidades daquele país como Brasília, a Capital Federal e Parati, a cidade histórica localizada no Rio de Janeiro.

Há também nomes ligados a animais e outros com mais de um significado. O Apollo tem relação com o mais belo dos deuses grego e também com a nave espacial norte-americana. Já a Kombi vem do alemão Kombinationsfahrzeug, que quer dizer combinação do espaço para carga e passeio.

Como pode constatar, mesmo nesta história do automóvel, o nome tem uma importância vital. Afinal, um nome é tudo.

Classificação
A sua opinião
[Total: 0 Média: 0]