Mulheres ao volante, fazem uma condução mais segura

2396
Mulheres ao volante
Mulheres ao volante

Dizem que mulheres ao volante, é sinónimo de perigo constante. Quando os homens vêm uma mulher ao volante, têm tendência para fugir metendo o pé a fundo no acelerador. Claro que, antes de desaparecerem de vista não dispensam umas valentes buzinadelas…

Mulheres ao volante

A realidade é esta: ainda hoje, os homens acham que as mulheres não sabem conduzir, apelidando-as de todos os nomes possíveis e imaginários. Porém, outra realidade, e que alguns tentam disfarçar, é que as mulheres têm menos acidentes que os homens.

Dadas a poucos malabarismos na condução, as mulheres chegam mesmo a ter seguros especialmente criados para elas. Será o fruto da evolução social ou pura discriminação na prática de saber conduzir?

De facto, os homens lideram o panorama da condução em Portugal, mas nas escolas de condução o número de mulheres a inscreverem-se aumentou significativamente de há um tempo para cá. Aliás, o próprio número de homens a tirar a carta, tem vindo a decrescer ao longo dos tempos.

A vontade quase súbita de as mulheres tirarem a carta, está relacionada com as próprias condições que a sociedade promoveu. Lutando pela sua própria independência e estabilidade, as mulheres aventuraram-se nesta área da sua vida e os resultados têm sido positivos, contrariando as opiniões masculinas da massa popular.

As declarações menos dignas dos homens relativamente à questão da condução das mulheres, são no mínimo, surpreendentes. Ouvem-se afirmações chocantes e chegam mesmo a haver anedotas, neste sentido. Um homem jamais suportará que uma mulher saiba conduzir melhor que ele, e muito menos ser ultrapassado por uma fêmea.

Os condutores do sexo masculino, gostam de andar a velocidades estrondosas ao sabor da aventura. Julgam eles, cheios de convicção, que conseguem controlar a máquina em qualquer situação, por isso é que tantas vezes, acabam por ter graves acidentes. As mulheres, por sua vez, são muito mais prudentes e cautelosas, mas os homens entendem isso, como: “Não saber conduzir”.

Porém, temos que admitir o seguinte: as mulheres têm uma certa dificuldade em perceber o sinónimo de prioridade, mudar um pneu ou abusar do uso da buzina. Afinal, em comparação com as mudanças que não usam, acabam por utilizar em demasia a buzina. É humano…

Ainda que as mulheres estejam menos associadas aos acidentes que os homens, o facto é que as mulheres são muito mais distraídas que os seus companheiros. Para as mulheres, não existem passadeiras e para os homens, não existe limite de velocidade.

Felizmente, não há apenas mais mulheres a tirar a carta, como também é comum vê-las a conduzir autocarros ou o eléctrico. E, como os homens têm mesmo que apanhar os transportes senão chegam tarde ao trabalho, têm que ser conduzidos por uma senhora obrigatoriamente.

Até à altura, pode afirmar-se que as mulheres têm estado a desempenhar um excelente papel a conduzir transportes públicos, portanto parece que a imagem feminina ao volante veio para ficar.

Informe-se acerca dos seguros que existem no mercado e encontrará mesmo alguns, que dão pelo nome de “Mulher Condutora”. Evidência clara, que as mulheres vieram para ficar bem junto ao volante, fazendo subir as estatísticas de condutoras neste sentido. Parece que, o progresso da condição social é demonstrado a todos os níveis…

Classificação
A sua opinião
[Total: 1 Média: 5]