Guia de tipos de motos e motorizadas

2557
Guia de tipos de motos e motorizadas
Guia de tipos de motos e motorizadas

Enquanto passamos horas infinitas nas filas de trânsito, sem andar para trás nem para diante, há sempre um motociclista, que passa por nós a grande velocidade, e que de certeza vai chegar a horas ao emprego. Para além de não ter de perder muito tempo para conseguir estacionar o seu veículo.

Tipos de motos e motorizadas

Por gosto, ou simplesmente por uma questão de utilidade, quem compra uma moto deve saber distinguir os aspectos mais importantes que caracterizam cada tipo de máquina, de modo a que possa fazer a escolha acertada e comprar aquele modelo que mais se adapta às suas necessidades. Assim, separámos os 6 tipos de motos e apresentamos os prós e os contras de cada uma das categorias:

Motas Desportivas

Este tipo de motos são muito rápidas e contam com uma proteção aerodinâmica completa. Têm um desenho muito semelhante às motos de competição e a posição de condução é bastante inclinada para a frente. Têm uma grande capacidade de aceleração e travagem, e atingem velocidades máximas muito elevadas.

Para quem pretenda apenas deslocar-se na cidade, provavelmente acabará por se sentir frustrado com os limites de velocidade, já que tem de contar com uma considerável dificuldade de manobra a baixas velocidades, para além do peso que caracteriza este tipo de motos.

O conforto do passageiro é também um ponto que deixa muito a desejar. Estas motos dão, anualmente, uma despesa média de 40 contos de manutenção.

Motos de Estrada

Esta é talvez a categoria que engloba uma maior gama de modelos. São motos de desenho desportivo, mas com uma menor tendências para a velocidade. São rápidas, ágeis e com proteção aerodinâmica.

Ao contrário das desportivas, as motos de estrada são pensadas também para o transporte do passageiro. São mais adaptadas para o trânsito em cidade, se bem que existem algum modelos cuja condução a baixa velocidade não é tão satisfatória. A despesa anual de manutenção destas motos ronda os 500 euros.

Motas Utilitárias

Como o próprio nome indica, estas motos são práticas e fáceis de manobrar. Regra geral, são baixas e pequenas, ideais para se deslocar na cidade ou em pequenos trajetos.
Os pontos fracos destas motos são o conforto do passageiro e o desempenho da suspensão.
A despesa anual de manutenção é, em média, cerca de 250 euros.

Motas Turismo

As motos de turismo são grandes, pesadas e preparadas para grandes viagens. Têm uma grande proteção aerodinâmica e capacidade para transportar bagagem. São as máquinas ideais para quem faz longas viagens.

A grande diferença entre este tipo de moto e os restantes é o conforto do passageiro, que pode viajar muitos quilómetros sem razões de queixa.

Se, por um lado, gozam de grande facilidade de condução em estrada, estas motas não são indicadas para circuitos urbanos, já que são bastante difíceis de manobrar a baixa velocidade.
São também as motos que dão uma maior despesa anual de manutenção: 700 euros.

Motas todo-o-terreno

O desenho destas motos recordam-nos os participantes do Granada-Dakar. Caracterizam-se pelas suspensões e guiadores bastante altos.

Apesar de serem desenhadas para andar sobre terra, a sua versatilidade permite que se adaptem facilmente a circuitos urbanos e à estrada. São as motos ideais para viajar em caminhos secundários.

A altura deste tipo de motas pode de certa forma comprometer a deslocação no trânsito urbano. São também pouco recomendáveis aos motociclistas mais baixos.
Estas motos gastam, anualmente, uma média de 500 euros em manutenção.

Motas Custom

São as famosas choppers ou motos personalizadas. Muitos cromados, bancos baixos, guiadores altos e ausência de proteção aerodinâmica são alguns dos aspectos que as caracterizam. A estética destas motos não se deixa abalar pelas rajadas de vento.

São confortáveis, principalmente para pequenos trajetos, se bem que o conforto do passageiro por vezes também deixa algo a desejar. O mesmo acontece com o sistema de travagem.

A facilidade de manobra a baixas velocidades não é tão boa como no caso das utilitárias ou todo-o-terreno. O custo anual de manutenção destas motos é de cerca de 200 euros.

Classificação
A sua opinião
[Total: 0 Média: 0]