Inicio Pessoas As nossas crónicas O Príncipe Encantado ou o homem perfeito

O Príncipe Encantado ou o homem perfeito

O Príncipe Encantado? O Homem Perfeito? Será verdade? Existirá? E se sim, onde encontrá-lo? Procuro e não te encontro, alguém do nosso repertório musical já cantava há uma série de anos! Hehehe E já agora será que está em vias de extinção ou será apenas que a Branca de Neve, Cinderela e Rapunzel foram as únicas premiadas com os únicos príncipes encantados do pedaço?

Pois bem… já em pequeninas ouvíamos estes contos de fadas, estas histórias adoráveis, tão bem contadas pelas nossas avós e sempre imaginámos que isto um dia, seria possível, no entanto não tem sido muito bem assim ou tem?

Os homens são realmente extraordinários, adoráveis (quando o querem), porém como não foram feitos por medida pelo Zé Carlos, têm alguns defeitos e é claro que não correspondem totalmente à imagem do nosso sonho. Uma coisa é verdade – no início de uma relação eles parecem realmente ser uma visão deslumbrante do Príncipe Encantado, mas… (e há sempre um “mas” que vem estragar o final feliz!!!!) ao fim de algum tempo denotam-se algumas falhazitas (eufemisticamente falando, opppssssssss escrevendo… claro está!).

Que nós também estamos cheias delas, não o podemos negar, mas para quê falar nisso agora? Hehehe Nem vem ao caso nem nada! Se assumirmos as nossas “qualidades-menos-positivas” também não faz diferença alguma, porque os homens são mais práticos, mais imediatos e também porque não ouviram nenhuma história de encantar que estimulasse os seus desejos pela Princesa Encantada.

Estavam ocupados demais com os jogos de computador, os veículos motores e a dar uma espreitadela pelos canais com filmes/programas eróticos por causa das suas hormonas saltitantes. Dai que nos aceitem com defeitos e virtudes. Os seus ideais vão mais no sentido físico de uma Crawford, Schiffer, Aparício, mas sabem perfeitamente que as mesmas foram feitas por medida.

Os homens não são, pois perfeitos e muito menos feitos de encomenda. Então, triste constatação: não vale a pena procurar o nosso Príncipe Encantado, porque ele não existe! Também não vale a pena ficarmos tristes, como quando soubemos que o Pai Natal na realidade não existia, porque existe uma tampa para cada tacho e vocês sabem como uma fica tão bem e tão completa com a outra, verdá?

E também estamos conscientes de quando não gostamos de algo no outro, tentamos logo mudar. Nós, mulheres é que temos mais a tendência de os querer mudar, adaptar à imagem do nosso conto de fadas.

Ora aqui está uma palavra chave “adaptar”. Pois é, como eu acho que não existe Mr. Perfect, que preencha os nossos sonhos à risca (para mal dos nossos pecados e para grande pena nossa!), há que chegar a um consenso/ compromisso. Aceitá-lo com tudo o que tem para dar, porque o importante é sermos felizes (nós e eles). Daí a necessidade de nos moldarmos um ao outro, para que as peças do puzzle encaixem todas uma na outra.

Já todas ouvimos falar que o casamento é muito diferente do namoro e porquê? Porque o primeiro período é o da adaptação (e não estou a falar da lua de mel, que essa é doce e das minhas preferidas, porque não engorda! Já para não falar que não tem corantes e muito menos conservantes!! Hehehe! Então e mas… quando ao nosso Príncipe Encantado lhe falta o encanto? Que fazer? Bom… como eu vejo as coisas amar é aceitar a pessoa como ela é!

O pacote com tudo (bom e mau) e é preciso saber gerir isto muito bem e reflectir, porque há traços nas nossas personalidades que podem ser totalmente incompatíveis! Cuidado, porque existe a ideia errada de que o homem pode mudar nas coisas que são mesmo incompatíveis e nos fazem infelizes depois do casamento, ou de ser pai ou de outro marco importante e, isso não é assim tão simples. Somos o que somos e não mudamos fácil ou pacificamente algo que faz parte da nossa essência…

No entanto existem coisas em que não contrariamos a nossa maneira de ser e só fazemos a outra pessoa feliz (e consequentemente a nós também – é tipo dois em um, como no Jumbo! Hehehe) Se pensarmos, são coisas simples que eles detestam em nós e que nós detestamos neles e que se as mudarmos, faremos toda a diferença.

É dar um jeitinho e encontrar um compromisso!! Mas quais são as coisas que eles e elas detestam? As seguintes situações são algumas e de certo, após uma breve reflexão lembrar-se-ão de mais! O que eles detestam em nós:

  • Verem-nos maltrapilhas ou de ar desleixado (de rolos na cabeça, com uns cremes na cara para tratamento de beleza)
  • O tempo que demoramos na casa de banho 
  • Quando falamos de casamento 
  • O eterno tempo a mexer e remexer nas compras 
  • Perguntas sobre sentimentos (do que sentem em relação a nós) 
  • Quando gastamos dinheiro (é sempre muito) 
  • Quando chegamos menos pontualmente (Eufemismo para hiper atrasadas) 
  • Que não sejamos boas donas de casa 
  • Quando temos a mania que somos boas 
  • Quando não sabemos manter uma conversa 
  • Ciúme Excessivo (onde estiveste, com quem, blá, blá)
  • Quando temos dor de cabeça a horas impróprias

O que nós detestamos neles:

  • Desleixo
  • Quando procuram algo, raramente o encontram ( e lá vamos fazer nós o que eles já podiam ter feito) 
  • Quando vêem alguém casar-se dizem sempre “Olha outro que está farto de estar bem” ou ” Outro que se enforcou” 
  • Olhar constantemente para as outras 
  • Quando querem sair só com os seus amigos (porque precisam de espaço) 
  • Quando estão sempre muito ocupados 
  • Que não façam comentários/ piropos à nossa aparência 
  • Que digam palavrões a torto e a direito 
  • Que não sejam cavalheiros 
  • Que ponham o dedo no nariz e atirem os respectivos macaquinhos pela janela do carro ou que se cocem em zonas onde nós não nos podemos coçar em público 
  • Quando molham a tampa da sanita 
  • Quando não fecham a tampa da pasta de dentes e largam tudo pela casa 
  • Nunca ouvem o que dizemos na totalidade e depois aborrecem-nos com o que perceberam mal 
  • Quando vêem futebol a torto e a direito em tudo o que é canal (jogos, resumos de jogos, programas de comentários e criticas ao que já viu, pelo menos umas cinco vezes)

E  isto são pequenas coisas de que me lembrei, sugestões aceitam-se. Hehehe

A conclusão que podemos tirar é que para termos uma boa relação, uma pessoa que nos faz feliz e a quem nós também fazemos, é preciso lutar e procurar bem, porque se se lembram das nossas histórinhas de encantar, antes de serem felizes para sempre, os apaixonados passavam por muitas dificuldades!!!! Por isso viva o amor e os amantes ( estou a falar dos que amam) e já sabem: – Tenham um dia feliz!!!

Classificação
A sua opinião
[Total: 0 Média: 0]
Exit mobile version