Inicio Família Carreira Como encarar o desemprego

Como encarar o desemprego

Como encarar o desemprego
Como encarar o desemprego

A Mulher Portuguesa quer dar-lhe uma ajuda para encarar uma situação de desemprego e aqui ficam algumas dicas sobre o que fazer nas diversas situações.

Já lá vai o tempo em que as profissões passavam de pais para filhos, ou que um emprego durava para toda a vida, e a empresa continuava a aceitar os filhos dos trabalhadores.

Hoje em dia encontrar emprego ou até mesmo uma ocupação profissional revela-se mais do que problemático. A Mulher Portuguesa quer dar-lhe uma ajuda para esse passo e aqui ficam algumas dicas sobre o que fazer nas diversas situações.

Como encarar o desemprego

Portugal ainda enfrenta uma situação que se pode intitular de gravosa no que respeita ao desemprego, apesar da diminuição das taxas que se tem vindo a verificar, quer pelo aumento dos postos de trabalho, quer pela realização de cursos de formação profissional, que de certa forma “mascaram” esses números.

Encontrar-se numa situação de desemprego é, acima de tudo, um factor angustiante e stressante para o trabalhador, não apenas pela falta de remuneração, como também pelas condições sociais que esse problema invoca. E há que ter em atenção que este é um problema que pode afectar qualquer pessoa em qualquer idade produtiva.

Acima de tudo, aceite o facto e não procure culpas na sua actuação. Na maior parte dos casos é a entidade empregadora que não agiu corretamente. Se achar que foi isso que aconteceu, recorra à Inspecção Geral do Trabalho ou ao Tribunal de Trabalho, mas não deixe que a situação fique por resolver.

Acreditamos sempre que para um despedimento é necessária uma causa, como o mau comportamento ou laboração de um trabalhador.

Infelizmente, hoje em dia isso não acontece desta forma. Os despedimentos em massa por motivos de falência ou devidos à celebração de contratos a termo certo, colocam em situação precária milhares de pessoas.

São várias as maneiras de encarar esta situação. Evite o isolamento e procure o apoio dos que o rodeiam e tente contactar com pessoas que estejam na mesma situação, quer entre amigos, quer em grupos de apoio.

. pub .

Terá de se adaptar a uma alteração dos ritmos a que estava habituada, mas irá aprender a viver com essa realidade.

Faça projetos para o futuro e estabeleça um programa de procura de emprego. Aproveite ainda o tempo para fazer o que sempre desejou, como visitar alguns locais ou fazer uma formação numa área diferente da que trabalhava. Faça uma actualização dos seus conhecimentos ou adquira novos.

Uma dica: um curso em computadores é talvez o mais válido acessório para o seu currículo. Analise outros aspectos que estejam em falta e valorize-os ou recicle os que considera essenciais.

É preciso encarar o factor do desemprego de um ponto de vista positivo e construtivo. Este pode ser o momento certo para fazer um ponto da situação do seu percurso profissional.

Avalie o que lhe aconteceu e porque motivos, e faça depois uma avaliação dos seus conhecimentos, sem deixar de considerar todas as suas aptidões.

Não saia logo à procura de um novo emprego, a menos que isso seja essencial para a sua economia (e quando é que não é?). Descanse alguns dias e depois faça um plano de procura de emprego.

Por vezes o facto de estar desempregada pode leva-la a aceitar propostas menos adequadas, e as empresas podem tirar proveito da sua ansiedade para propor-lhe um vencimento mais baixo.

Para que a procura de emprego resulte é preciso estar calma e confiante nas suas possibilidades, sendo persistente e efectiva.

Procure mais do que uma alternativa (envie vários currículos mesmo para sítios para onde não tem a mínima ideia de poder entrar, nunca se sabe quem vai ler o seu currículo).

Adquira informações sobre os seus direitos junto do Centro de Emprego da sua zona de residência, ou dos Centros Regionais de Segurança Social, principalmente acerca dos subsídios a que tem direito, às prestações deste e ao montante, assim como os cursos que estão disponíveis.

Este procedimento, para além de ser obrigatório, vai também ajudá-la a planear a sua vida no aspecto financeiro.

E passemos ao aspecto mais prático. Para começar a procurar emprego é necessário que elabore o seu currículo, de que vamos falar a seguir.

Classificação
A sua opinião
[Total: 1 Média: 5]
Exit mobile version