Conheça as principais doenças das plantas

0
1556

Várias são as doenças que podem afectar as plantas do seu jardim. Oídio, míldio, podridão… Saiba identificar as doenças das plantas que tem no seu jardim, em casa ou na sua horta.

Doenças das plantas

Damos-lhe, de seguida, uma ideia de como as pode identificar e eliminar. Enquanto umas costumam afectar as plantas ornamentais, outras só atingem certo tipo de plantas.

Oídio

Uma camada branca e poeirenta sobre as folhas e os rebentos de várias plantas é a sua marca. Ataca com força as macieiras, groselheiras-de-cachos, videiras, pepinos, pimentos, ervilhas, couves, rábanos, nabos, miosótis e rosas.

A altura mais propícia ao seu aparecimento é quando o tempo está seco, período em que as plantas recebem menos água.  Para evitar o oídio, regue as plantas com abundância. Corte os rebentos atingidos e, em último caso, pulverize com enxofre.

Míldio

Em casos extremos, o míldio pode penetrar nas folhas e matar a planta. Por isso, é importante actuar de imediato – o melhor é destruir a planta ou cubri-la com sulfato de cobre e cal apagada. Entre os seus sintomas encontramos o aparecimento de uma penugem na parte inferior das folhas. Ataca, sobretudo, quando o tempo está quente e húmido.

Podridão Cinzenta

Favorecida pela deficiente circulação de ar, esta doença é caracterizada pelo desenvolvimento de uma penugem cinzenta sobre as folhas, caules ou frutos. Aparece, sobretudo, com o tempo frio e húmido e, para a eliminar, há que cortar e queimar as partes atingidas.

Fumagina

Este é um fungo negro que se desenvolve sobre a melada segregada por alguns insectos sugadores (os pulgões, por exemplo). Retira-se com água e apenas interfere com a quantidade de luz que a planta recebe.

Ferrugem

Pústulas castanhas, vermelhas, amarelas ou negras na parte inferior das folhas e nos caules – são estes os seus sintomas. A ferrugem afecta o desenvolvimento da planta e, em último caso, pode mesmo causar a sua morte.

Só os produtos químicos constituem um tratamento fiável. Mesmo assim, pode experimentar retirar as folhas atingidas. As plantas mais sensíveis são as bocas-de-lobo, as íris, as ameixeiras, os pimentos, as cebolinhas e os alhos.

Manchas nas folhas

Provocadas por fungos, elas não apresentam grande gravidade. Exceptua-se a doença das manchas negras que pode trazer sérios problemas às roseiras. Esta última caracteriza-se pelo aparecimento de manchas nas folhas mais velhas, que acabam por amarelecer e morrer. Por isso, retire de imediato as folhas atingidas.

Podridão

Pode atacar os frutos, rebentos, folhas, legumes de raíz e bolbos e é provocada por fungos. Nas plantas lenhosas, esta doença pode ser eliminada cortando as partes afectadas.

A podridão pode, ainda, atingir plantas que estejam demasiado densas ou à sombra. No caso dos legumes e bolbos, é importante eliminar os que tiverem feridos ou moles pois podem contagiar os exemplares sãos.

Doenças nas sementeiras

Esta doença tem como consequência o apodrecimento do pé das plantas mais jovens. Para evitá-la, utilize composto comercializado para semear e evite sementeiras densas. Regue, ainda, os vasos e as caixas das sementeiras por baixo – a aspersão ajuda à propagação dos esporos patogénicos.

Cancros

Causando lesões nos caules, os cancros atacam as plantas lenhosas. Em casos extremos, a morte da planta é a última consequência. O cancro atinge, em geral, as árvores de fruto, mas as cerejeiras ornamentais, os chorões e as roseiras também podem ser afectados. Eliminar as partes atingidas é a melhor solução.

Deperecimento

Para combater esta doença, é importante usar sempre composto estéril para as sementeiras e para as plantações por estaca. Essencial é, ainda, eliminar as plantas gravemente atingidas. Cravos, crisântemos, clematites, pepinos e tomates são as plantas mais susceptíveis a esta doença.

Malformações

Exemplos: a hérnia da couve, as galhas, a lepra do pessegueiro e as vassouras-de-bruxa (malformações em forma de caldeirão em algumas árvores). Na sua origem encontramos perturbações no sistema hormonal das plantas, mas esta doença não apresenta alguma gravidade.

Se quiser, e por motivos estéticos, pode retirar estas malformações.

Classificação
A sua opinião
[Total: 2 Média: 3.5]