Parasitas externos dos animais: Incómodo ou problema?

1994
Parasitas dos animais
Parasitas dos animais

Os parasitas são um problema frequente nos animais de companhia provocam as infestações por pulgas e carraças em nossas casas

Parasitas externos dos animais

Sendo mais comuns durante a época mais quente – Março a Outubro – em ambientes onde as temperaturas sejam favoráveis, podem estar presentes durante todo o ano.

Estes artrópodes encontram-se no ambiente e, quando o animal passa por um local onde estejam presentes, é nele que se vão instalar, alimentando-se.

Mas a presença destes parasitas não é um simples incómodo, com efeitos desagradáveis como comichões e reações alérgicas. Tanto pulgas como carraças podem, enquanto hospedeiros de outros agentes, transmitir doenças de menor ou maior gravidade.

Existem actualmente no mercado vários produtos para a prevenção e tratamento destas infestações. É importante, pois, ter em conta a possibilidade de contacto com estes parasitas e os seus efeitos desagradáveis e, de modo a evitar os problemas que estes agentes podem causar, manter um protocolo regular de aplicações destes produtos, segundo o seu modo e intervalo temporal de administração correctos.

PULGAS

Apenas 5% dos parasitas encontrados no hospedeiro são pulgas adultas. Estas mantêm-se no hospedeiro e cada deposita uma média de 30 ovos por dia, sendo os restantes 95% da carga parasitária correspondentes aos diferentes estados imaturos do parasita.

Ao atravessar um local de eclosão, as pulgas vão alojar-se no hospedeiro. É desta forma que se processa, na maioria dos casos, a infestação inicial, não sendo necessário o contacto com um animal infestado, mas apenas com um local onde exista o parasita.

Os ovos de pulgas acabam por cair no solo, sendo aí que se desenvolve, de forma invisível, uma grande parte do seu ciclo de vida. É ao passar por estes locais onde se desenvolverão as pulgas que o animal poderá ficar infestado.

Para verificar se um animal tem pulgas, percorrer a pelagem poderá permitir observá-las, mas também a presença de pequenos pontos negros – correspondentes aos excrementos do parasita – poderão indicar a infestação.

Carraças

As principais espécies de carraça encontradas nos animais de companhia são Ixodes ricinus, Dermacentor reticulatus e Rhipicephalus sanguíneos. Estes parasitas, após introdução do aparelho bucal na pele do hospedeiro, alimentam-se do seu sangue hospedeiro durante horas, desprendendo-se depois e caindo no solo, onde prosseguirá o seu ciclo de vida.

As carraças podem desenvolver lesões e patologias no seu hospedeiro tanto através da acção do seu aparelho bucal sobre a pele, como através das toxinas presentes na sua saliva ou da transmissão de outros agentes patológicos.

As diferentes espécies de carraça podem ser hospedeiras de diversas doenças de maior ou menor gravidade, como a babesiose, a erlichiose e a doença de Lyme.

Tratamento contra os parasitas

Existem vários produtos indicados para a prevenção e tratamento das infestações por pulgas e carraças. Desde coleiras e sprays às muito conhecidas pipetas, é muita a variedade de formatos e marcas, cada uma com as suas especificações.

Algumas delas previnem inclusive outras patologias do foro parasitário, como a dirofilariose e a leishmaniose. Para evitar ou eliminar infestações por parasitas, recomenda-se o recurso a um destes produtos, segundo o modo de utilização indicado pelo médico veterinário.

Classificação
A sua opinião
[Total: 0 Média: 0]