Cosmética natural, a preferida das mulheres

0
7784

A importância que cada vez mais se dá ao meio ambiente reflete-se também no mundo da cosmética, que procura conjugar anti-poluição, reciclagem e biodegradação com a utilização de produtos naturais.

A cosmética verde é cada vez mais uma realidade, com o uso de produtos naturais e baseando-se na fitoterapia. As tintas vegetais, as máscaras de argila e os produtos à base de algas estão a ganhar cada vez mais espaço na cosmética, recuperando a milenar sabedoria que usava estes produtos para curas e tratamentos de beleza.

Um dos motivos que levou os fabricantes a voltarem ‘às origens’ foi a proibição decretada sobre o uso de determinadas matérias primas de origem animal como os extractos de bovino e de placenta.

Mas como não há bela sem senão, alguns destes produtos ainda pecam pelo seu elevado custo que resulta de todos os ingredientes serem 100% naturais e têm um tempo mais limitado de vida, uma vez que não lhes são adicionados conservantes químicos.

Existe ainda mais um fator a favor deste tipo de produtos e dos seus produtores, que passa pelo respeito dos animais, visto que não são aplicadas experiências com cobaias, baseando-se as técnicas na biotecnologia, a ciência que consegue obter qualquer princípio ativo utilizado em cosmética através da química pura, sem ser necessário recorrer a substâncias animais.

Aliada a esta ciência encontra-se o Ecobian, um estudo levado a cabo para estudar e avaliar o impacto de determinado cosmético sobre o meio ambiente desde que é composto até ao seu final, quando é eliminado após a sua utilização.

As matérias primas mais utilizadas na chamada cosmética verde são extractos de plantas como da Ginkgo biloba, cujas folhas são apanhadas à mão e sem qualquer tratamento químico. Na cosmética é utilizada como cicatrizantes em ecrãs solares e para vasodilatação.

As algas são outros dos produtos muito utilizados em certos cremes, ou aplicadas diretamente sobre o corpo em balneários e centros de beleza deixando a pele tensa e suave.

Também utilizados são os arbustos Hammamelis, originário da América do Norte e cujo extracto possui propriedades descongestionantes e tonificantes, e a passionária, originária das regiões tropicais. Nos seus frutos encontram-se alguns grãos dos quais se extrai um óleo rico em ácidos gordos essenciais, ideais para a nutrição e hidratação da pele.

A substância mais conhecida é a argila, um pó mineral com grande poder de absorção das impurezas que se depositam na superfície da pele e usada para máscaras faciais e corporais.

Classificação
A sua opinião
[Total: 2 Média: 4.5]