Quando os filhos ensinam os pais

0
1371

Os filhos nascem, planeados ou não, e há quem diga que todo o pensamento e a forma de encarar a vida se transforma radicalmente. 

Antes do seu filho nascer certamente lhe passavam ao lado determinados factos sociais e sentimentos humanos. Hoje, é uma fiel seguidora de todos os perigos e benefícios que a vida lhes pode trazer. Antigamente, os seus dias eram a mesma rotina de sempre, à excepção de quando chegava o fim de semana. Todavia, sentia-se vazia, sempre as mesmas caras e conversas, que nada lhe traziam de novo.

Quando o seu filho nasceu, tudo mudou. O nascimento de uma criança é como um sopro de ar fresco e renovador na vida de qualquer pessoa. É, sem dúvida, um transformar total dos hábitos de vida, mas é também a sensibilização e consciência para novos factores que, ali tão perto, não significavam absolutamente nada. Um brotar de novos sentimentos e experiências é o que de mais louvável aprende com os mais novos.

As crianças ensinam-na a encarar a vida com outros olhos, colocando uma maior responsabilidade naquilo que faz, optando por uma vasta organização, dominada pela razão e não pelos impulsos, e centrada numa perspectiva de vida futura e não presente.

A responsabilidade e o sentimento de colocar uma criança no mundo não é indiferente a ninguém, nem para o adolescente mais irreverente do mundo, e é sinónimo do poder que o desencadear de uma nova vida pode trazer.Os filhos ensinam-na a ver a vida de outra forma. Começa-se a ter mais cuidado com a segurança, alimentação, e os problemas de educação, que até à data não mereciam muito interesse, são o grande quebra cabeças do seu dia a dia.

A criança devolve também ao ser humano emoções afectivas puras, que qualquer pessoa possui no seu interior, e sem qualquer interesse por trás. Rir, sorrir, sentir, começam a fazer parte do universo dos pais.Descobre-se, novamente, o conceito de surpresa. A imprevisibilidade dos actos das crianças fazem brotar um sentimento diferente nas reacções dos pais, perante as novidades que se lhes deparam.

Muitas vezes são brincadeiras inesperadas, perguntas descabidas, palavras novas que aprenderam, ou tantas outras coisas que a deixam estupefacta, mas com um sorriso nos lábios.Encarar a realidade tal como ela é, é uma das coisas que o mundo infantil lhe ensina. Das ilusões das suas brincadeiras, nasce nos mais velhos a certeza de que as coisas não são pintadas de cor de rosa e que estão muito além daquilo que as crianças idealizam.

Os pais são quase que ‘obrigados’ a desenvolver a sua capacidade imaginativa. As brincadeiras das crianças são tantas, que os pais vêm-se obrigados a encontrar novos motivos de diversão a todo o instante.A mãe desenvolve em si o conceito de paciência, ternura, paz, harmonia e calma, e é muito frequente que a relação com a sua mãe venha a melhorar bastante, pois ambas já têm experiências semelhantes para contar uma à outra.

A necessidade de uma melhor qualidade e futuro de vida é também uma necessidade para os pais, que desejam para os seus filhos um mundo melhor do que aquele dos quais são protagonistas.Na realidade trazer uma nova vida ao mundo faz desenvolver em si o lado humano, nem sempre presente ou visível no nosso quotidiano.

A maneira como se encaram as coisas e a forma como as mesmas se sentem passam por uma ternura e compreensividade tal, que só é possível senti-las dessa forma quando se é mãe. Se você já possui esse nobre estatuto os nossos Parabéns, pois certamente já aprendeu muito sobre os laços humanos da vida.

Classificação
A sua opinião
[Total: 0 Média: 0]