Enurese nocturna ou o chichi na cama

0
1795

A Enurese Nocturna Primária é, a seguir às afecções alérgicas, a disfunção física com maior incidência na infância.

Em Portugal, existem aproximadamente 80.000 crianças enuréticas: 15% com 5 anos, 10% com 10 anos e 0,5 a 1% dos jovens adolescentes. Esta disfunção afecta cerca de 10% das crianças com sete anos de idade.

  • Dormir em casa de amigos.
  • Excursão da escola.
  • Campo de férias.
  • Visitar familiares…

… são muitas as actividades que podem levar uma criança a passar a noite fora de casa. Mas a criança que faz chichi na cama não quer que o seu “grande segredo” seja descoberto e evita todas essas actividades.

Alguns dados estatísticos

A Enurese Nocturna Primária é, a seguir às afecções alérgicas, a disfunção física com maior incidência na infância.(1)

Em Portugal, existem aproximadamente 80.000 crianças enuréticas: 15% com 5 anos, 10% com 10 anos e 0,5 a 1% dos jovens adolescentes (4)

Esta disfunção afecta cerca de 10% das crianças com sete anos de idade, e é mais comum nos rapazes do que nas raparigas. (2)

Aproximadamente 70% das crianças com Enurese Nocturna, nunca chega a receber qualquer apoio médico. No entanto, existem medidas simples que ajudam a criança a ultrapassar esta perturbação.

“…Eu sabia que molhar a cama era algo de mau que eu não podia dominar. Cometia assim o pecado sem querer e sem conseguir evitá-lo. Vivia com um sentimento de culpa, e de loucura como não me recordo ter sentido, antes ou depois, em toda a minha vida…”

O que é a Enurese Nocturna Primária

A Enurese Nocturna Primária é a emissão involuntária de urina durante o sono, depois dos cinco anos de idade.

Ser primária significa que a criança nunca deixou de fazer chichi na cama. Embora seja frequente pensar-se que a Enurese Nocturna se resolve com o tempo, o seu não tratamento afecta a auto-estima e socialização da criança. (3) Tal pode provocar efeitos adversos no desenvolvimento harmonioso da criança e causar problemas psicológicos para toda a vida.

Por isso deve ser proporcionado um tratamento pronto e efectivo, prevenindo assim o sofrimento durante a infância, adolescência ou até mesmo na idade adulta. Contudo, apenas cerca de um terço das famílias com casos de Enurese consulta o médico. (5) Em estudos que avaliaram a auto-estima de crianças enuréticas, antes e depois do tratamento, foi demonstrado que o pronto tratamento pode restaurar a auto-confiança. (6)

Os sintomas de alerta

O facto da criança entrar para a escola e continuar a fazer chichi na cama, com intervalos inferiores a seis meses, deve ser encarado como um sintoma de alerta. Mas, em geral, as crianças enuréticas molham a cama mais do que uma vez por noite.

Existem também casos a ter em atenção, como o nascimento de um irmão ou o divórcio dos pais, causas que podem provocar temporariamente episódios de Enurese na criança, normalmente denominados como Enurese Secundária.

As causas da Enurese Nocturna Primária

A hereditariedade

Os pais devem ter em atenção que esta disfunção tem uma grande prevalência hereditária. Assim, existe um índice de 44% de ocorrência de Enurese Nocturna se um dos pais foi enurético, e de 77% se ambos (pai e mãe) tiverem sido enuréticos (7).

Está também provado que uma criança que é precedida por duas gerações com Enurese Nocturna tem um atraso de ano e meio no controlo nocturno da bexiga. Actualmente, foram já descobertos os cromossomas -12q e 13q– que podem predispor geneticamente as crianças a desenvolver a Enurese Nocturna.

Causa fisiológica: insuficiência de vasopressina

Mas a causa fisiológica mais comum é uma deficiência na produção nocturna de uma hormona anti-diurética chamada vasopressina. Esta hormona regula a produção de urina durante as 24 horas do dia, existindo uma maior produção desta hormona durante a noite para, deste modo, reduzir o volume de urina.No caso da maioria das crianças enuréticas, e segundo alguns investigadores dinamarqueses (8), existe uma deficiência na produção nocturna da vasopressina.

Os problemas sociais numa criança enurética

Para além de um constrangimento para os pais, esta disfunção é, essencialmente, uma grande humilhação para a criança, podendo vir a afectar fortemente a sua auto-estima e socialização.

A criança enurética tem vergonha de fazer chichi na cama e quer esconder este problema. Daí que tudo o que implique passar a noite fora de casa seja um grande problema. Isto também vai afectar a vida social da criança, que se vai mostrar apreensiva à ideia de ir dormir a casa de um familiar, de um amigo ou de participar num acampamento.

Por outro lado, estes meninos pensam que são os únicos que ainda fazem chichi na cama, o que os faz sentir diminuídos perante as outras crianças da sua idade, criando um quadro de infelicidade. Logo, a criança enurética pode vir a sofrer graves problemas de auto-estima e auto-comfiança, sendo muitas das vezes alvo de “gozo” por parte dos seus colegas.

O que fazer?

A importância de uma primeira consulta

Embora a Enurese Nocturna tenda a passar naturalmente com a idade, o primeiro passo que os pais têm de dar é levar a criança ao seu médico de família ou pediatra, para despistar a “doença” e conhecer as causas da mesma. Pode dar-se o caso de a criança sofrer de outros problemas que não sejam identificados como sendo Enurese Nocturna, nomeadamente infecções urinárias, que requerem tratamento especializado e adequado.

Conselho aos Pais

É importante lembrar que a culpa não é da criança, nem dos pais. Ficar zangado ou castigar a criança apenas vai agravar a situação. Apoiar ou incentivar os esforços dos enuréticos em manterem-se secos ajuda realmente a superar o problema. Procurar alguma ajuda acelera o processo, poupando o sofrimento e a angústia da família.

Os tratamentos possíveis da Enurese Nocturna

Depois de se eliminar a hipótese da bexiga ser a causa do problema, o seu médico pode discutir com a criança e consigo, qual a melhor opção para o seu caso.

Hoje em dia existem terapias e medicamentos que podem tratar este problema. Contudo, só um médico pode indicar qual o tratamento mais eficaz para cada criança.

Deixamos aqui algumas terapias utilizadas:

Terapia com Alarme

O alarme consiste em duas peças que são colocadas na cama e, quando a criança começa a fazer chichi, o contacto da urina com a coberta faz o alarme soar. Ao fim de algumas semanas, a criança vai acordar sozinha quando sentir a bexiga cheia.

Os estudos mais recentes questionam o método do alarme, por ser um método complexo que requer uma grande compreensão e disponibilidade dos pais.

O recurso a medicamentos é hoje indicado como o tratamento mais eficaz. Medicamentos (apenas sob prescrição médica)

Imipramina. Embora este problema não seja depressivo ou neuropsicológico, este tipo de anti-depressivo é muitas vezes utilizado na Enurese Nocturna. No entanto, e segundo um estudo recente (1ª Conferência Mundial sobre Incontinência, co-patrocinada pela Organização Mundial de Saúde, a fim de definir e encontrar estratégias para o tratamento da Enurese, 1998), este tipo de medicamento não pode ser recomendado para o tratamento da Enurese Nocturna, devido aos seus efeitos secundários. (9)

Desmopressina. Trata-se de um análogo sintético da hormona anti-diurética que aumenta a concentração de urina e diminui o volume urinário, sem efeitos secundários (10) e com uma prolongada acção. A Desmopressina é o tratamento mais receitado pelos médicos e, em muitos casos, consegue eliminar o problema em poucos meses. Existe em spray e em comprimidos, mas a maioria dos pais e crianças prefere os comprimidos por serem mais discretos e cómodos. Porém, o sucesso deste tratamento depende do rigoroso cumprimento das indicações prescritas.

Terapia Motivacional

A abordagem do tratamento da Enurese Nocturna é feita em reuniões onde toda a família pode e deve estar envolvida. O objectivo destas sessões é encorajar a criança enurética a assumir a responsabilidade pelo seu problema e ensinar a família a ajudá-la a ultrapassar a sua Enurese Nocturna.

Existem ainda outras medidas que podem ser tomadas pela criança enurética, como beber líquidos regularmente durante o dia, evitando bebidas gaseificadas, chá e café à noite, pois aumentam a produção de urina.

Adoptar um papel activo, uma atitude positiva perante o problema da Enurese Nocturna do vosso filho, contribuirá de maneira decisiva e positiva para a probabilidade de êxito do tratamento.

Recomendações destinadas aos pais

A ajuda dos pais

  • Para a Enurese Nocturna ser ultrapassada, é preciso que a criança esteja motivada a melhorar. Mas não só, pois a colaboração dos pais é de extrema importância.
  • E para ajudar a criança, para além de a levar ao médico, os pais devem:
  • Alterar os hábitos prejudiciais, como beber líquidos antes de ir para a cama;
  • Lembrar à criança de fazer chichi antes de se deitar;
  • Não falar com outras pessoas sobre este assunto quando o filho está presente;
  • Não envergonhar ou castigar a criança;

Incentivar o filho enurético. Este incentivo pode ser feito através de várias brincadeiras. Como por exemplo um jogo onde a criança, num cartaz com os dias da semana, cola uma cara sorridente quando não faz chichi, ou uma bola amarela quando faz;

Certificar-se que a criança toma banho de manhã, para evitar o desagradável odor a urina que o “denunciaria” entre os colegas na escola;

Ajudar a criança a responsabilizar-se pela sua Enurese, nomeadamente deixando-o participar na discussão do problema, assim como na tomada de decisões;

Deixar e incentivar a criança a ajudar na muda da cama e do pijama, pois tal ajudará a criança a ultrapassar o problema e a participar na resolução do seu problema.

Remover sentimentos de culpa e mostrar à criança que a Enurese é uma situação frequente e que atinge outras crianças;

Fazer com que a criança faça “exercícios” da bexiga, como seja tentando fazer um intervalo cada vez maior entre a vontade e a ida à casa-de-banho; e ainda ensinar o enurético a controlar o jacto urinário, aprendendo a interrompê-lo.

Evitar a utilização de fraldas, o que provocaria um retrocesso na criança.

Mas a maior ajuda que os pais podem dar é levar a criança enurética ao médico!

RESUMINDO

  • A Enurese Nocturna afecta cerca de 80.000 crianças entre os 5 e os 14 anos
  • A Enurese não é uma doença, mas uma disfunção fisiológica e afecta a auto-estima da criança
  • A criança enurética nunca o faz de propósito ou por preguiça
  • A criança nunca deve ser culpabilizada ou punida
  • A Enurese Nocturna pode e deve ser tratada
  • Aos primeiros sintomas, os pais devem levar a criança ao médico de família ou pediatra
Classificação
A sua opinião
[Total: 0 Média: 0]