Os laxantes, serão a solução mágica para a prisão de ventre?

0
367

Se toma um medicamento com efeito laxante não deve deixar de o tomar, nem alterar a forma e a periodicidade com que o toma, sem antes consultar o seu médico. Serão os laxantes a solução mágica para a prisão de ventre?

Os laxantes

Há pessoas que adoptam o maior número das medidas acima descritas e deixam de tomar o laxante, por sua auto-recriação, o que pode ser contra producente principalmente se o laxante é forte e já o tomam há muito tempo.

Normalmente tem que se fazer o desmame, ou seja retirar o laxante a pouco e pouco e/ou substitui-lo por outro de características diferentes, ou mais fraco.

Conforme a flora intestinal vai sendo reconstruída, o aumento de fibra e de água começa a fazer efeito e os músculos vão funcionando melhor, ou seja que o organismo se vai recompondo, então este necessitará menos da ajuda do laxante.

Por isso é frequente que só duas ou três semanas depois da adopção das medidas que mencionámos é que se pode deixar de tomar o laxante mas apenas durante um dia e continuando sempre fazer aquilo que tem estado a fazer durante as duas semanas.

Passadas duas ou três semanas pode-se tentar não tomar o laxante durante um dia, continuar a tomá-lo durante quatro dias e, se os intestinos continuarem a funcionar, interromper novamente ao quinto dia e apenas durante esse dia.

A seguir continua-se a tomar o laxante diariamente e a manter todas as medidas adoptadas e, se os intestinos continuarem a funcionar bem, passado quatro dias pode interromper-se o laxante durante um dia.

Progressivamente pode passar a não tomar o laxante três vezes por semana e assim sucessivamente até este não ser mais necessário porque os intestinos são capazes de funcionar sozinhos.

Ou seja, normalmente é necessário ajudar o organismo a refazer a sua capacidade de evacuar e a desabituar-se, gradualmente, do laxante, o que pode demorar o seu tempo.

Os laxantes naturais

Há também laxantes naturais com uma concentração de fibras naturais bastante elevada, o que auxilia os intestinos a funcionarem melhor, sem criarem dependência nem provocarem diarreia e levarem ao enfraquecimento dos músculos.

Se o laxante, mesmo sendo natural, provoca diarreia isto pode significar que as substancias presentes nos intestinos (resultantes da digestão dos alimentos) são expulsas ainda antes da sua digestão estar completa.

Assim perde-se parte do valor nutritivo do que se comeu e o nosso organismo não fica tão bem alimentado.

Os próprios músculos responsáveis pela evacuação também ficam mal alimentados e começam a enfraquecer.

O resultado é que têm cada vez mais dificuldade em trabalhar e em expelirem as fezes. Assim a pessoa tem cada vez mais prisão de ventre. Para evacuar precisa novamente de um laxante forte, o ciclo repete-se e a prisão de ventre pode tornar-se crónica.

Isto não quer dizer que a pessoa não precise de tomar um laxante forte, ou até de fazer um clister. A adopção de melhores hábitos alimentares e um estilo de vida mais saudável é importante para solucionar o problema da prisão de ventre e sensação de barriga inchada.

Classificação
A sua opinião
[Total: 1 Média: 5]