Intoxicações Alimentares

0
1179

As Intoxicações Alimentares são cada vez mais comuns e resultam do consumo de alimentos estragados. À partida, é uma situação passageira mas pode vir a ser algo muito grave.

As intoxicações alimentares apresentam quase todas os mesmos sintomas: diarreia, vómitos e dores abdominais.

A pessoa começa a ir demasiadas vezes à casa de banho, sem saber muito bem o motivo, está impregnada de dores e constantemente enjoada, e com vómitos. Estes sintomas levam cerca de um dia a manifestar-se no indivíduo, embora possam ocorrer horas depois de ter ingerido o(s) alimento(s) estragado(s).

As intoxicações alimentares podem ser evitadas em determinados casos, mas há outras situações nas quais há a total impossibilidade de se fazer o que quer que seja. Quando vai almoçar ou jantar a um restaurante não sabe a origem dos alimentos ou a forma como foram confeccionados.

Aliados a estes factores, é também da sua total ignorância se os alimentos estão ou não deteriorados, pois muitos deles mantêm o sabor que lhes é característico. Se estiver em sua casa, aí já pode ter mais atenção com os alimentos. Pode adquiri-los você mesma, e ter uma atenção redobrada na confecção dos mesmos.

Antes de mexer, seja em que alimento for, deve sempre lavar muito bem as mãos. A faca que está a utilizar deve ser lavada sempre que for a ser utilizada para cortar outro alimento que não o inicial. O local onde o primeiro alimento foi cortado deve ser lavado cuidadosamente, para evitar qualquer micróbio deixado pelo anterior. Todas as aves devem ser totalmente descongeladas, e depois correctamente cozinhadas. Sempre que um alimento lhe souber ou cheirar mal, não o coma!

Quando for ingerir um alimento proveniente de uma lata, e esta tiver amolgada, não o consuma. Deve também ter um cuidado redobrado com os mariscos, e analisar muito bem a cor e o cheiro.

Estas são apenas algumas das probabilidades de ser atingido por uma intoxicação alimentar, sem contar com tantas outras situações que aos nossos olhos nos podem parecer inofensivas e na realidade não o são.

A intoxicação alimentar é provocada por vírus, bactéria, ou qualquer outra substância tóxica, que faz com que as pessoas que os ingiram fiquem doentes, independentemente da idade, sexo ou de qualquer outro tipo de problemas orgânicos que possuam.

A forma mais comum de contrair uma intoxicação alimentar é através da salmonela, que está com mais frequência nos ovos e aves, especialmente sempre que estejam mal cozidos. Porém, e mais grave ainda, é a Escherichia, uma bactéria que se encontra na maioria das situações em carnes cruas e mal cozidas, particularmente na carne picada. Esta pode ser uma forma de intoxicação alimentar mais grave, que pode levar o doente a ter que fazer uma lavagem ao estômago.

Quando os vómitos são repetidos e a diarreia dura mais que 48 horas, aconselhamo-la a chamar de imediato um médico pois a situação pode já ser grave.

Beba muitos líquidos, e evite comer alimentos sólidos nas seguintes 24 horas. O médico encarregar-se-á de lhe dar os medicamentos necessários. Um chá de gengibre alivia as náuseas se o beber de duas em duas horas, ou então opte por tomar 2 cápsulas, também de gengibre, com o mesmo intervalo horário. Mas nem só através de remédios de ervas se acalma uma intoxicação, pois pode também recorrer à Homeopatia.

Para evitar as náuseas, faça pressão com o polegar na zona interna do antebraço, cerca de dois dedos abaixo da dobra do pulso. Fazendo este gesto apenas um minuto poderá aliviar as náuseas. Siga os nossos conselhos quando tiver que confeccionar alimentos, e poderá evitar a desagradável experiência de passar por uma intoxicação alimentar.

Classificação
A sua opinião
[Total: 0 Média: 0]
Partilhar