Estrias – como contorná-las

0
2041

Uma vez instaladas, as estrias são lesões irreversíveis. Contudo, não só pode evitar o seu aparecimento como suavizar a aparência das já existentes, com persistência, tratamentos e produtos específicos.

As estrias caracterizam-se por um rompimento das fibras elásticas que sustentam a camada intermediária da pele, formada por colágeno e latina (responsáveis pela sua elasticidade e tonicidade).

São várias as causas para o aparecimento das estrias como a obesidade, qualidade do tecido conjuntivo, crescimento repentino, hereditariedade, alterações hormonais e gravidez. Existem alguns medicamentos que podem também ajudar ao aparecimento desta má formação.

Como evitá-las

A primeira maneira de evitar e de tratar as estrias refere-se ao hábito de hidratar a pele diariamente. Utilize um bom creme hidratante de acordo com o seu tipo de pele, de forma a que esta ande sempre nutrida.

A segunda maneira, não menos importante está relacionada com os bons hábitos alimentares, ter uma alimentação rica em dois compostos Colagénio e Vitamina C é fundamental.

Beba água em abundância (1 a 2 litros por dia). Quanto mais água existir na pele, melhores as condições para o metabolismo das suas células, em particular os responsáveis pela produção de colagénio e elastina.

Evite comer alimentos com muito sal pois este ingrediente provoca a retenção de líquidos que levam ao aparecimento de estrias e celulite. Procure manter um peso regular, sem variações bruscas ao longo da sua vida, para evitar a distensão da pele.

Cuidados a ter

Pratique exercício físico ou desporto. O exercício estimula a circulação e o fornecimento de nutrientes às células cutâneas. Sempre que faz exercício está a dar ao seu corpo anos de vida o que faz com que a sua pele rejuvenesça.

Durante o verão tenha atenção ao sol , pois as radiações ultravioleta desidratam a pele e quanto mais seca e desidratada estiver a sua pele, mais estrias surgirão na mesma.

Tratamentos

Tratamento com ácidos: alguns ácidos, especialmente o ácido retinóico, estimulam a formação de tecido colágeno, melhorando assim o aspecto das estrias. Pode haver descamação e vermelhidão e a concentração ideal para cada caso deve ser definida sempre pelo seu dermatologista, de acordo com o seu tipo de pele. Deve ser evitada a exposição solar durante este periodo .

Peelings: os peelings têm a mesma acção dos ácidos, no entanto, de uma forma mais acelerada e intensa, geralmente levam a um melhor resultado. Também deve ser evitada a exposição solar.

Subcisão (subcision): esta técnica consiste na introdução de uma agulha grossa, com ponta cortante, ao longo e por baixo da estria, com movimentos de ida e volta. O trauma causado leva à formação de tecido colágeno no local, que preenche a área onde o tecido estava degenerado.

Dermobrasão: o “lixar” as estrias provoca uma reacção semelhante à dos peelings, com formação de novo colágeno mas com a vantagem de regularizar a superfície da pele, ficando com uma aparência mais uniforme.

Microdermobrasão: são microcristais de óxido de alumínio que causam pequenas feridas na pele com estrias, ocorrendo a regeneração posteriormente.

Intradermoterapia: consiste na injecção ao longo e sob as estrias de substâncias que provocam uma reacção do organismo estimulando também a formação de colágeno nas áreas onde as fibras se degeneraram. Além disso, a própria passagem da agulha provoca uma discreta subcisão.

Microcorrente galvânica: sendo a mais conhecida o STRIAT, tem o objetivo de provocar um processo inflamatório agudo no tecido acometido pela estria, para que haja uma regeneração do mesmo.

Agora que já conhece algumas das técnicas do mercado, adopte uma e livre-se das suas estrias.

Classificação
A sua opinião
[Total: 0 Média: 0]