Higiene e segurança dos alimentos, para uma alimentação segura

0
1046

Saber conservar os alimentos corretamente não é muito difícil. Basta para isso ter algumas noções daquilo que poderá prejudicar a segurança dos alimentos e a higiene desses bens de consumo.

Higiene e segurança dos alimentos

Preservar os alimentos, evitando a sua contaminação, é extremamente importante para garantir a sua saúde. Ainda que o meio ambiente esteja substancialmente mais contaminado do que há alguns anos atrás, é fundamental tomarmos todas as medidas de segurança dos alimentos para garantir a higiene e segurança daquilo que comemos, dentro e fora de casa.

As bactérias que os alimentos e o meio alojam multiplicam-se com uma enorme facilidade e se, além dos riscos que o ar por si só acarreta, não nos preocuparmos com a lavagem e conservação dos mesmos, assim como com a nossa higiene pessoal, o perigo de contrair alguma doença ou vírus vai aumentar bastante. Por mais estranho que lhe possa parecer, e paralelamente à sua higiene pessoal, os factores ambientais são aqueles que estão na origem dos maiores riscos de contaminação.

A natureza dos alimentos

A natureza dos alimentos desempenha também aqui um papel importante. Por exemplo, as aves e os mamíferos são susceptíveis de serem uma via de contaminação maior do que outra variante alimentar qualquer. O tempo que os alimentos permanecem fora das suas condições naturais, bem como a humidade, a temperatura, ar, água, ou os locais nos quais os confeciona, são igualmente importantes para definir a saúde de quem os digere.

A humidade é um fator a ter em conta, uma vez que possibilita o desenvolvimento de micro organismos. Daí que seja fulcral manter os locais devidamente limpos e ventilados corretamente, não criando as mínimas condições para que a humidade se possa instalar. Esses micro organismos reproduzem-se facilmente, até porque basta o local estar a uma temperatura mais quente, ou mesmo à temperatura do corpo, para permitir a sua propagação em massa.

A temperatura de conservação

Exatamente por causa da temperatura ser um fator determinante para a propagação dos micróbios é que se aconselha os alimentos a estarem no frio. Porém, há que ter em conta que os alimentos não ficam isentos de micróbios só porque estão no frio. Antes de os colocar no frio eles já podem estar com micróbios ou, mesmo no momento em que os retirar do frio, a sua propagação pode suceder.

Por causa deste fator, e uma vez que o frio não destrói os micróbios, é que a higiene é preponderante para a segurança. Todavia, há que ter o máximo cuidado com a água, e certificar-se de que está limpa e sem resíduos tóxicos. Relativamente às temperaturas, é de referir ainda que com grandes temperaturas, acima dos 50 ou 60º, muito dificilmente a multiplicação dos micro organismos será possível. Utilizando uma temperatura de 100º os micro organismos serão destruídos.

Além das muitas viroses que os alimentos possam transmitir, um dos vírus de maior importância transmitidos pelos alimentos é o vírus da Hepatite A. Entra no organismo por via digestiva, e geralmente através de água e dos alimentos. Este é um tipo de vírus de difícil identificação nos alimentos, até porque o tempo que se leva a manifestar pode levar alguns dias ou semanas.

A contaminação dos alimentos

Os frutos, vegetais, água contaminada, produtos do mar que vivem em águas infectadas, são alguns dos portadores deste vírus.

Existem muitas outras doenças como a Triquinose, a Criptosporidiose, a Ascaridiose, ou a Difilobotriose, que ocorrem no ser humano devido à ingestão de alimentos em condições precárias, ou então provenientes do consumo de água em mau estado. Ainda que os sintomas possam levar algum tempo a registar-se, é comum a mal disposição ser o primeiro indício, bem como os vómitos, dores de cabeça, náuseas ou diarreia.

Previna-se antes mesmo de consumir os alimentos, dando-lhe as melhores condições de segurança e higiene. Só assim você poderá zelar e assegurar a sua saúde!

Classificação
A sua opinião
[Total: 1 Média: 5]