À mesa… com as vitaminas!

0
1152

Ter legumes sempre como acompanhamento é fundamental. Contudo mantê-los frescos não é possível por muitos dias. Assim, saiba que grande parte dos legumes aquando congelados conseguem manter os seus níveis de vitaminas.

No caso dos vegetais verdes-escuros, como os bróculos e os espinafres, a congelação permite fixar até 80% da quantidade de vitamina C. No caso do feijão verde, a retenção pode ir até aos 100%, quando comparados com os produtos frescos expostos nas bancas dos mercados.

O mesmo se passa nos alimentos que contêm beta-caroteno (caso das cenouras, abóbora), em que a percentagem de pro-vitamina A retida é também superior nos vegetais congelados, quando comparado com os produtos frescos. Ou seja, se o vegetal tiver sido congelado poucas horas depois se ter sido colhido, consegue garantir a preservação dos seus nutrientes.

E porquê? Desde que são colhidos, os vegetais frescos são expostos a inúmeros factores externos – luz, humidade, temperaturas – que interferem com a composição do alimento, conduzindo à perda gradual de alguns nutrientes, em especial as vitaminas. Isto significa que quando efectivamente os confeccionamos, podemos já não estar a usufruir de toda a sua riqueza nutricional.

Por outro lado, está também comprovado que, mesmo quando comprados frescos, os vegetais não são consumidos de imediato e acabam por ficar, vários dias no frigorífico antes de serem consumidos. Por cada minuto, hora ou dia que passa desde o momento que são apanhados até serem consumidos, os vegetais perdem nutrientes, ficando bastante empobrecidos.

É o caso das vitaminas, em especial a vitamina C, hipersensível a todos estes factores ambientais, que começa a “perder-se” logo no momento da colheita. A vitamina C acaba por ser um indicador da frescura dos vegetais e uma referência relativamente aos outros nutrientes.

EXPLOSÃO DE SABOR E DE SAÚDE

Os vegetais são alimentos que ficam bem em qualquer lugar. Ou seja, permitem inúmeras combinações saborosas com o peixe, a carne, as massas ou as saladas. Se se cumprirem as recomendações nutricionais, que apontam para a ingestão de cinco peças de vegetais, por dia, percebemos que a ingestão de 3-5 doses de vegetais não atinge sequer as 100kcal. Muito pouco se pensarmos nas mais-valias para a sua saúde, por isso se afirma que os vegetais são alimentos de grande densidade nutricional.

Então, quais as vantagens dos vegetais congelados quando comparado com os produtos frescos ou refrigerados?

Os vegetais são colhidos apenas quando estão maduros, evitando que o alimento amadureça à força. Imediatamente após a colheita, os vegetais são limpos, escaldados e congelados de forma a preservarem a maior quantidade de nutrientes. Podem ser consumidos em qualquer momento, com a frescura e sabor que teriam quando acabados de colher.

O processo de congelação, desde que executado poucas horas após a colheita, retarda a perda dos nutrientes e a acção nefasta de microorganismo. Além disso não tem aditivos o que garante a sua conservação.

Como vê, não há motivo para não os consumir mais vezes! E não se esqueça, é na variedade e na cor que estão os benefícios para a sua saúde.

Classificação
A sua opinião
[Total: 0 Média: 0]